Rússia e Suécia lideram primeira fase do Mundial Júnior de Hóquei

Rússia venceu os quatro jogos na primeira fase do Mundial Júnior de Hóquei no Gelo (Matt Zambonin/HHOF-IIHF Images)

Dois dos países mais tradicionais no Hóquei no Gelo e integrantes do Big Six, Rússia e Suécia estão dispostos a encerrarem um pequeno tabu na disputa do Mundial Júnior de Hóquei no Gelo desta temporada. As duas seleções lideraram seus grupos na primeira fase da competição, realizada em Vancouver e Victoria, no Canadá. 

Russos e suecos não vencem a principal competição da categoria de base do hóquei no gelo desde 2011 e 2012, respectivamente. Neste período, cada um dos países ficou com o vice-campeonato em três ocasiões diferentes. Não bastasse isso, Canadá, Finlândia e Estados Unidos, três dos maiores rivais, venceram o torneio duas vezes cada. 

O melhor desempenho até o momento é da jovem seleção russa. Com um forte jogo coletivo (nenhum atleta está no Top 8 do ranking de pontuação individual), o país europeu venceu seus quatro jogos na fase preliminar, inclusive o Canadá, país-sede, por 2 a 1. Dessa forma, terminou na liderança do Grupo A com 12 pontos. 


Dessa forma, a Rússia conseguiu um caminho mais tranquilo nas quartas de final do Mundial Júnior de Hóquei no Gelo. O país vai enfrentar a Eslováquia por uma vaga à semifinal. Os eslovacos terminaram na quarta posição do Grupo B com apenas uma vitória em quatro partidas e tem a pior defesa dentre todos os classificados à segunda fase. 

A Suécia, por sua vez, também está invicta e terminou na liderança do Grupo B com 11 pontos em 12 possíveis. A única diferença é que a vitória de 5 a 4 sobre a seleção dos Estados Unidos foi confirmada apenas no overtime (os suecos abriram 4 a 0 no placar, mas permitiram a reação norte-americana nos últimos dez minutos de jogo). 

Diferentemente da Rússia, o desempenho sueco depende de dois atletas específicos: o defensor Erick Brannstrom e o atacante Emil Bemstrom, dois possíveis prospects da NHL. Cada um deles fez quatro gols na primeira fase e, juntos, foram responsáveis por metade de todos os gols de seu país na primeira fase. 

Com a primeira posição confirmada no Grupo B, a Suécia enfrentará a Suíça nas quartas de final com amplo favoritismo. Os suíços não avançam à semifinal desde 2010 e, na primeira fase desta temporada, venceram apenas um jogo, terminando na quarta posição do Grupo A com quatro pontos.


Atual campeão e favorito ao título em casa, o Canadá terminou na segunda posição de sua chave e terá um jogo difícil contra a Finlândia nas quartas de final. Já os Estados Unidos, vencedores em 2016, terão um desafio "mais tranquilo", por assim dizer. O país enfrentará a República Tcheca, integrante do Big Six com pior desempenho na competição, mas que chegou à semifinal na temporada passada. 

Na disputa do rebaixamento, Dinamarca e Cazaquistão não somaram pontos nos Grupos A e B, respectivamente, e se enfrentam em uma série de até três jogos para determinar quem continua na elite e quem será rebaixado para o Grupo A da Divisão 1. Quem vencer dois jogos no confronto assegura a permanência. 

O norte-americano Ryan Poehling, já draftado pelo Montreal Canadiens na NHL na temporada passada, liderou o ranking de pontuação individual na primeira fase com cinco gols e três assistências. Ele também foi um dos artilheiros ao lado do canadense Maxime Comtois e do suíço Philipp Kurashev, também já draftados na principal liga de hóquei do planeta. 

As quartas de final são disputadas em um único jogo e quem vencer continua na caminhada rumo ao título do Mundial Júnior de Hóquei no Gelo de 2019. As quatro partidas serão realizadas na noite desta quarta-feira, 2 de janeiro. As semifinais serão na sexta-feira, dia 4, e a final e o jogo pelo bronze no sábado, dia 5.

Suécia também está invicta na primeira fase do Mundial Júnior (Minas Panagiotakis/HHOF-IIHF Images)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.