Nicole Silveira termina Copa América de Skeleton na sexta posição

Nicole Silveira (Reprodução)

A brasileira Nicole Silveira encerrou nesse fim de semana, entre 11 e 12 de janeiro, a sua temporada de estreia no Skeleton. A atleta competiu nas últimas duas provas da Copa América da modalidade em Calgary, no Canadá, e conseguiu terminar na melhor posição da história do país no ranking da competição. 

Presente nas oito provas realizadas na temporada, Nicole conseguiu terminar na sexta posição com 222 pontos - seu melhor resultado foi a sétima posição na última corrida em Lake Placid, nos Estados Unidos. A norte-americana Kelly Curtis foi a campeã ao conseguir 445 pontos no total. A sueca Leslie Stratton foi a segunda com 375. 

Na penúltima prova da temporada, realizada no dia 11 de janeiro, a atleta da CBDG terminou na 15ª posição com 2min01seg07, pouco mais de três segundos e meio atrás da britânica Ashleigh Pittaway, primeira colocada. Kelly Curtis ficou na segunda posição e Madison Charney, do Canadá, foi a terceira colocada. 

No dia seguinte, Nicole Silveira fez a última corrida da Copa América. Ela terminou na 17ª posição com 2min01seg70, mas dessa vez ficou cinco segundos atrás da vencedora. A primeira colocação foi de Kelly Curtis com 1min56seg65. Charney foi a segunda colocada e a também canadense Lanette Prediger completou o pódio. 

Atleta da equipe de Bobsled da Heather Paes na temporada passada, Nicole Silveira iniciou a transição no skeleton em março de 2018 com suas primeiras aulas de pilotagem. Após a pré-temporada no meio do ano, ela se tornou na primeira atleta da história do Brasil a participar de um torneio adulto na modalidade.

A tendência, a partir de agora, é melhorar seus tempos nas principais pistas da América do Norte e brigar por uma vaga olímpica nos Jogos de Inverno de 2022, em Pequim. Nessa temporada, por exemplo, ela já ficaria na quinta posição da lista de realocações com as mesmas regras de classificação para PyeongChang. Contudo, na próxima edição olímpica serão 25 vagas para as mulheres no Skeleton ao invés de 20 - aumentando as chances da brasileira. 

Marina Tuono estreia no Monobob feminino

O fim de semana também marcou a estreia oficial da brasileira Marina Tuono no Monobob feminino. Após participar de diversos treinos ao longo da temporada, a atleta competiu no Evento Oficial da IBSF em Calgary, no Canadá. A prova foi realizada na última sexta-feira, 10 de janeiro. 

Marina terminou na sétima posição com 2min08seg30, pouco mais de três segundos atrás da primeira colocada - nove competidoras participaram dessa prova. A medalha de ouro ficou com a canadense Melissa Lotholz, parceira de Kaillie Humphries no último ciclo olímpico, com 2min04seg55. Kori Hol e Cynthia Serwaah, também do Canadá, terminaram com a prata e bronze, respectivamente. 

A atleta também foi integrante do time de Bobsled da Heather Paes que tentou a vaga olímpica na temporada passada. Em março, ela iniciou os treinamentos para fazer a transição para o Skeleton, mas a decisão do COI de incluir o Monobob feminino nos Jogos Olímpicos de 2022 fez a CBDG mudar os planos. Assim, Marina Tuono se tornou na primeira representante do país no Monobob na categoria adulta. 

Marina Tuono (Girts Kehris)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.