Homens vencem e Brasil se despede de 'repescagem' no Curling

Equipe masculina comemora primeira vitória do Brasil na disputa masculina (Divulgação)

O Evento Classificatório Mundial certamente será um divisor de águas para o Curling brasileiro no futuro. Mesmo sem chances de classificação, o Brasil se despediu em grande estilo da competição com o encerramento da primeira fase na madrugada de segunda para terça-feira, 22 de janeiro. Os jogos aconteceram em Naseby, na Nova Zelândia. 

Além da boa campanha do time feminino, o último dia de jogos para o país reservou a inédita primeira vitória do time masculino em um torneio oficial de Curling. A seleção, representada por Marcelo Mello, Michael Krähenbühl, Scott McMullan e Sergio Vilela, encarou suas partidas derradeiras sabendo que eram as últimas chances de conseguir o tão esperado triunfo. 

Os rapazes não decepcionaram. Contra a Dinamarca, campeã da Divisão B do Campeonato Europeu e nona colocada no ranking da WCF, o Brasil até começou mal, perdendo de 5 a 2 no intervalo. Contudo, do sexto ao nono end, os brasileiros conseguiram nove pontos, com direito a cinco apenas no nono end. No fim, o placar mostrava uma contundente vitória de 11 a 5. 

Depois, na última rodada, a equipe enfrentou a Austrália, que tinha perdido todos os jogos até então. Os rivais abriram 4 a 2 no intervalo, mas o roteiro não se repetiu. Os australianos ampliaram ainda mais a vantagem e venceram por 12 a 2. No fim, o Brasil dividiu a última posição com a própria Austrália e Dinamarca, todos com uma vitória e seis derrotas na fase de classificação. 

Já a equipe feminina, que conseguiu incríveis três vitórias, se despediu diante da China. Favoritas antes do início da competição, as chinesas não tiveram dificuldades para vencer por 9 a 1. As brasileiras terminaram a competição na quarta colocação, com três vitórias e quatro derrotas, a uma posição da vaga à semifinal. 

Independentemente da posição final e não ter conseguido a vaga ao Mundial, a equipe brasileira de Curling pode voltar para casa com a sensação de dever cumprido e, principalmente, ter feito história na modalidade. Os triunfos obtidos na Nova Zelândia foram os primeiros do país em uma competição oficial por equipes tanto entre os homens quanto entre as mulheres. 

Essa marca não poderia ter vindo em melhor hora. No fim de janeiro, o país comemora dez anos do seu início do esporte - em 2009 aconteceu o primeiro confronto contra os Estados Unidos no America's Challenge. Aliás, é simbólico que a primeira vitória masculina tenha Marcelo Mello como skip, o mesmo atleta responsável pelo início do esporte há uma década. 

Agora, a CBDG sabe o nível dos atletas brasileiros perante o mundo. Não é exagero dizer, por exemplo, que a seleção feminina foi capaz de duelar de igual para igual com equipes que disputam as Divisões A e B do Europeu e que chegaram à semifinal do Campeonato da Ásia/Pacífico. Já o time masculino também conseguiu encaixar bons jogos contra equipes que estão na segunda divisão da Europa. 

Isso dá uma confiança a mais para que o Curling possa continuar evoluindo no país. Agora, os próximos desafios do país estão voltados para a disputa de Duplas Mistas. Em fevereiro, a CBDG deve organizar o campeonato nacional no Canadá. A competição vai definir os representantes brasileiros para o Mundial da categoria em Abril, na Noruega.

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.