Seleção brasileira feminina de Curling faz financiamento coletivo

Luciana, Alessandra, Anne e Debora: equipe brasileira se prepara para Repescagem (Reprodução)

A seleção brasileira feminina de Curling irá dar seu passo mais importante na modalidade em janeiro e, para isso, conta com o apoio dos torcedores. A equipe irá participar do evento classificatório ao Mundial da modalidade, em janeiro, e está realizando uma campanha de financiamento coletivo para arrecadar os fundos necessários para a viagem.

O objetivo é levantar CAD$ 5 mil, valor suficiente para comprar as passagens aéreas da treinadora da equipe e para levar uma quinta jogadora, ideal para caso ocorra algum imprevisto. O link da "vaquinha virtual" pode ser visto aqui e a doação mínima é de cinco dólares canadenses (cerca de R$ 15 na cotação atual). 

"Temos financiamento limitado para este empreendimento e, mais uma vez, pedimos ajuda a nossos amigos, familiares e fãs. O dinheiro será usado para pagar passagens aéreas, hospedagem e alimentação para nossa técnica e quinta jogadora", escreve a nota do projeto. 

Nesta temporada, a seleção brasileira feminina de Curling tem Anne Shibuya como Skip, Luciana Barrella de terceira, Alessandra Barros de segunda e Debora Monteiro como lead - Isis Oliveira é a alternate. As mulheres vêm treinando juntas desde o início do segundo semestre de 2018, participando de bonspiels sempre que possível.

A equipe competiu em junho e julho no Canadá e, em novembro, esteve presente no bonspiel feminino do Golden Ears Curling Club em Maple Ridge, na província da Colúmbia Britânica. Foram três vitórias e três derrotas, assegurando a terceira posição no Pool C da competição. 

Em novembro, as mulheres brasileiras deveriam participar do America's Challenge contra os Estados Unidos. Entretanto, como o Brasil já tinha a vaga assegurada à repescagem mundial por ser o único representante do continente na disputa feminina, resolveu abrir mão do evento para focar nos treinamentos. 

O Evento Classificatório ao Mundial de Curling acontecerá em Naseby, na Nova Zelândia, entre 18 e 23 de janeiro de 2019. São oito países que disputam as duas vagas remanescentes. Os times ainda não foram confirmados pela WCF, mas a seleção brasileira feminina deverá ter a companhia de República Tcheca, Noruega, Finlândia, Estônia, China, Hong Kong e do país-sede. 

Já os homens, apesar da derrota para Guiana no America's Challenge, também participarão da repescagem após a desistência do rival sul-americano. Assim, a equipe masculina jogará contra Nova Zelândia, Austrália, Coreia do Sul, Holanda, Finlândia, Inglaterra e Dinamarca. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.