Com novos e velhos nomes, Tour de Ski chega à 13ª edição

Dario Cologna é o maior vencedor entre os homens e busca o quinto título (NordicFocus)

Cada vez mais consolidada no cenário internacional do Esqui Cross-Country, o Tour de Ski vai iniciar sua 13ª edição com a expectativa de definir os nomes que brigarão pelo título da temporada a partir de janeiro de 2019. A primeira etapa da competição será neste sábado, 29 de dezembro, em Toblach, na Itália. 

Ao todo, serão sete etapas em quatro cidades e três países até o dia 6 de janeiro de 2019. O campeão ganha nada menos do que 400 pontos no ranking geral da Copa do Mundo de Esqui Cross-Country, enquanto que cada vitória nas etapas soma mais 50 na pontuação do atleta. Ou seja, uma prova perfeita pode render até 750 pontos para o competidor na sequência da temporada. 

Mesmo assim, algumas ausências serão sentidas nesta temporada do Tour de Ski. A principal delas é na disputa feminina. A líder Therese Johaug, que venceu todas as etapas de distance até o momento, abdicou da competição para descansar e se preparar para a disputa do Mundial de Esqui Nórdico, em fevereiro. As estrelas suecas Charlotte Kalla e Ebba Anderson também desistiram. 

Mesmo assim, grandes nomes confirmaram presença. Atual bicampeã, a norueguesa Heidi Weng está confirmada, apesar de não viver boa fase. Sua compatriota Ingvild Østberg também está presente e busca seu primeiro título. A finlandesa Krista Pärmäkoski e a sueca Stina Nilsson, especialista em Sprint, também são favoritas ao título.

Entre os homens, a expectativa é ver o duelo de dois novos nomes que prometem brilhar no esqui cross-country nos próximos anos. O russo Alexander Bolshunov, 21 anos, e o norueguês Johannes Klæbo, atual campeão da Copa do Mundo, estão confirmados e são favoritos ao título. Além deles, destaque para o suíço Dario Cologna, que buscará seu quinto título, e o norueguês Martin Sundby, que confirmou presença mesmo criticando alterações no programa do Tour de Ski. 

História do Tour de Ski

A origem do Tour de Ski remete aos anos 1990. O norueguês Vegar Ulvang, campeão olímpico no esqui cross-country em 1992, sonhava com um torneio longo para a modalidade e que pudesse mesclar várias distâncias e os estilos livre e clássico. A sua inspiração era o tradicional Tour de France, principal competição de ciclismo em todo o mundo. Depois de se aposentar, Ulvang tornou-se diretor técnico de esqui cross-country na FIS, em 2006, e finalmente tirou seu sonho do papel ao criar o evento na Europa Central no ano seguinte. 

O início, porém, foi cheio de percalços. A Áustria e a Suíça não quiseram sediar etapas, receosas com um possível desinteresse do público neste formato. Nove Mesto, na República Tcheca, foi a cidade escolhida para a abertura, mas a falta de neve cancelou a disputa. Assim, a primeira edição teve seis provas ao invés das oito programadas e Munique correu para sediar a etapa inaugural. Mesmo assim, o Tour de Ski foi um sucesso tanto para os competidores quanto para a audiência. As incertezas que cercavam o campeonato deram lugar ao crescimento nos anos posteriores.



Calendário da edição 2019

Nesta temporada o Tour de Ski volta a passar por quatro cidades europeias em sete etapas entre 29 de dezembro e 6 de janeiro de 2019. A competição começa em Toblach, na Itália, passa por Val Müstair, na Suíça, segue para Oberstdorf, na Alemanha, e retorna à Itália para as duas provas finais em Val di Fiemme. Confira o cronograma completo:

  • Etapa 1 - Toblach (Itália) - 29/12
Sprint em técnica livre (masculino/feminino)
  • Etapa 2 - Toblach (Itália) - 30/12
10km em técnica livre (feminino)
15km em técnica livre (masculino)
  • Etapa 3 - Val Müstair (Suíça) - 1/1
Sprint em técnica livre (masculino/feminino)
  • Etapa 4 - Oberstdorf (Alemanha) - 2/1
10km em técnica clássica e largada coletiva (feminino)
15km em técnica clássica e largada coletiva (masculino)
  • Etapa 5 - Oberstdorf (Alemanha) - 3/1
10km em técnica livre e perseguição (feminino)
15km em técnica livre e perseguição (masculino)
  • Etapa 6 - Val di Fiemme (Itália) - 5/1
10km em técnica clássica e largada coletiva (feminino)
15km em técnica clássica e largada coletiva (masculino)
  • Etapa 7 - Val di Fiemme (Itália) - 6/1
Uphill final 9km em técnica livre (masculino/feminino)

Curiosidades sobre o Tour de Ski

  • A polonesa Justyna Kowalczyk e o suíço Dario Cologna são os maiores campeões do Tour de Ski com quatro conquistas cada. Ela venceu de forma consecutiva entre 2010 e 2013 e ele foi campeão em 2009, 2011, 2012 e 2018. 
  • Martin Sundby chegou a conquistar três títulos seguidos entre os homens (2014 a 2016), mas um escândalo de doping tirou seu troféu de 2015. Dessa forma, o também norueguês Peter Northug Jr foi o campeão e conquistou seu único título da competição. 
  • O russo Sergey Ustiugov foi o campeão masculino em 2017 e estabeleceu o recorde de vitórias consecutivas em etapas do Tour de Ski: cinco, no total.
  • Em compensação, seu compatriota Alexander Legkov conseguiu a proeza de conquistar o Tour de 2013 sem ter vencido uma prova sequer. 
  • A Noruega domina a competição nos últimos anos. Entre as mulheres, por exemplo, o país venceu as últimas cinco temporadas, enquanto que entre os homens conquistou três dos últimos cinco títulos. 
  • Vencer o Tour de Ski é um passo importante para conquistar o título da Copa do Mundo de Esqui Cross-Country. Em 12 edições, em apenas quatro oportunidades o vencedor masculino não levou o Globo de Cristal no fim da temporada: o tcheco Lukas Bauer (2010), os russos Legkov e Ustiugov (2013 e 2017) e o suíço Dario Cologna (2018). Entre as mulheres, em apenas três ocasiões os campeões foram diferentes: Charlotte Kalla (2008), a finlandesa Virpi Kuitunen (2009) e a polonesa Justyna Kowalczyk (2012). 
  • Kowalczyk ainda é a mulher mais vitoriosa do Tour de Ski com 14 triunfos e 28 pódios. No masculino, essa marca é de Peter Northug Jr com 13 vitórias e 31 pódios. 
  • Apenas trêss atletas participaram das 12 edições do Tour de Ski: o canadense Devon Kershaw e o francês Jean Marc Gaillard entre os homens e a alemã Stefanie Böhler entre as mulheres.
  • A norueguesa Ingvild Østberg foi vice-campeã do Tour de Ski em 2016 e 2017. Nunca um atleta alcançou três pódios sem ter conquistado o título ao menos uma vez. 
  • O russo Alexander Bolshunov e o norueguês Johannes Klæbo são os favoritos ao título do Tour masculino e podem quebrar o recorde de atleta mais novo a ser campeão do torneio. A marca pertence ao suíço Dario Cologna, que tinha 22 anos e 299 dias em 2009. 
  • O canadense Alex Harvey e a norte-americana Jessica Diggins terminaram na terceira posição do Tour de Ski na temporada passada. Eles foram os primeiros competidores fora da Europa que terminaram no Top 3 da competição. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.