Mikaela Shiffrin 'varre' disputa do Esqui Alpino em St. Moritz

Mikaela Shiffrin, à direita, dominou mais uma etapa do esqui alpino (Agence Zoom)

Apenas 25% da disputa feminina da Copa do Mundo de Esqui Alpino desta temporada foi realizada, mas uma atleta já desponta como a única favorita ao título da competição. A norte-americana Mikaela Shiffrin segue praticamente imbatível e conseguiu "varrer" as provas realizadas na etapa de St. Moritz, na Suíça, entre 8 e 9 de dezembro.

Shiffrin não deu chances às adversárias. No sábado, ela voltou a vencer uma prova de Super G, que não é sua especialidade, ao completar o percurso em 1min11seg30, apenas 28 centésimos à frente de Lara Gut-Behrami (primeiro pódio da atleta após se casar). Tina Weirather, de Liechtenstein, completou o pódio.

Depois, no domingo, a atleta dos Estados Unidos venceu a corrida de Slalom que serviu de classificatória e a prova de Paralelo que somou pontos para o ranking da Copa do Mundo. Na bateria decisiva, ela derrotou a eslovaca Petra Vlhova, também especialista em provas clássicas. Wendy Holdener, da Suíça, conquistou o bronze ao derrotar a austríaca Katharina Liensberger na disputa do terceiro lugar.



Com nove provas disputadas até o momento na temporada feminina do esqui alpino, Mikaela Shiffrin venceu nada menos do que cinco delas e subiu ao pódio em mais uma. Dessa forma, ela possui 689 pontos e já abre quatro corridas de vantagem sobre a suíça Michelle Gisin, segunda colocada com 296 - Petra Vlhova é a terceira com 276.

Mais do que isso, Shiffrin está se transformando em uma máquina de quebrar recordes. Com 23 anos, ela já é a atual bicampeã geral da Copa do Mundo de Esqui Alpino, atual tricampeã mundial no Slalom, dona de dois ouros e uma prata em Jogos Olímpicos e acumula 48 triunfos no circuito internacional, o que faz dela a quarta maior vencedora da história.

Com ela deve ter uma década de carreira em alto rendimento, tem tudo para ultrapassar a marca de sua compatriota Lindsey Vonn como a maior vencedora da Copa do Mundo com 82 triunfos (Vonn irá se aposentar nesta temporada e pode ganhar mais algumas provas). Além disso, a performance desta temporada a coloca como candidata para superar o recorde de Tina Maze como maior pontuadora da Copa do Mundo (a eslovena foi a campeã com 2414 pontos em 2013).,

Entre os homens, fortes ventos cancelaram a corrida de Slalom em Val d'Isere, na França, e a etapa teve apenas uma prova de Slalom Gigante. Contudo, isso não incomodou o multicampeão Marcel Hirscher, da Áustria. Ele voltou a vencer na Copa do Mundo da modalidade e recuperou a liderança da competição.


Hirscher obteve o tempo combinado de 1min42seg99 e conseguiu ficar mais de um segundo à frente do norueguês Henrik Kristoffersen, seu grande rival nas provas clássicas do Esqui Alpino. O sueco Matts Olsson completou o pódio. Essa foi a 60ª vitória da carreira do austríaco em Copas do Mundo. Ele já é o segundo maior vencedor da história, atrás apenas do sueco Ingemar Stenmark, que alcançou 86 triunfos. 

O triunfo em Val d'Isere também recolocou Marcel Hirscher na liderança geral masculina da Copa do Mundo da modalidade. Atual heptacampeão da competição, ele segue em busca de seu oitavo Globo de Cristal e possui 280 pontos. Seu compatriota Max Franz, especialista em provas de velocidade, é o segundo com 238.

A Copa do Mundo de Esqui Alpino segue em ritmo alucinante no último mês de 2018. Entre os dias 14 e 17 de dezembro, os homens emplacam quatro provas consecutivas (Downhill, Super G, Slalom Gigante e Paralelo) nos resorts italianos de Val Gardena e Alta Badia. As mulheres voltam a competir entre 18 e 19 em Val Gardena com provas de Downhill e Super G.

Marcel Hirscher vence e reassume a liderança da Copa do Mundo de Esqui Alpino (Agence Zoom)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.