Larissa Paes segue em evolução na patinação de velocidade

Larissa Paes durante treino em Salt Lake City (Divulgação)

Pioneira da patinação de velocidade entre as mulheres, a brasileira Larissa Paes, 23 anos, segue evoluindo para poder romper novas barreiras e participar de competições internacionais. Para isso, a atleta está em Salt Lake City, nos Estados Unidos, desde outubro de 2018 em um projeto financiado pela ISU e viabilizado pela CBDG. 

No total, ela vai passar seis meses treinando no Utah Olympic Oval, uma das melhores estruturas do mundo para a modalidade e sede da patinação de velocidade nos Jogos Olímpicos de 2002. Uma das melhores atletas do país na patinação de velocidade sobre rodas, Larissa iniciou o processo de transição intensivo para migrar ao gelo. 

Aliás, esse é o projeto da CBDG com o apoio da ISU. O objetivo é proporcionar essa experiência de migração das rodas para o gelo a outros atletas brasileiros especializados no inline. Criar uma equipe nacional de patinação de velocidade e ter mais atletas é um dos requisitos da federação internacional após o Brasil ter reconquistado a filiação nessa modalidade em 2018. 

A patinação de velocidade sobre rodas e a do gelo, apesar de serem parecidas visualmente, são bastante distintas em técnica. Então, o primeiro passo para mim foi manter isso em mente e tentar não patinar como eu já estava acostumada nas rodas 

Em dois meses, a evolução de Larissa Paes é notável. O tempo dela nos 500 metros, por exemplo, saiu de 48seg96 na corrida realizada em 13 de outubro para 45seg28 em 24 de novembro durante a seletiva da equipe turca sediada no local. O tempo dos 1000 metros foi de 1min34seg57 na mesma corrida inicial para 1min30seg08 durante a tomada de tempo em 1º de dezembro. 


Os tempos ainda estão altos para a elite da patinação de velocidade. Para disputar a Copa do Mundo, por exemplo, a brasileira precisaria marcar tempos inferiores a 40seg10 nos 500 metros e 1min20seg00 nos 1000 metros. Contudo, a redução de três a quatro segundos em um período inferior a dois meses indica que os treinos estão atingindo os resultados esperados. 

Meus tempos têm melhorado muito a cada competição. Certamente o que mais consegui melhorar no último mês foi a largada. Um grande desafio, pois é um movimento totalmente diferente da largada da patinação de rodas

A melhora nos tempos é fruto do intenso treinamento de Larissa Paes nos Estados Unidos. São duas sessões diárias de duas horas cada, além de academia e treino físico específico. Nesses primeiros meses, ela intercala atividades na patinação de velocidade e na patinação pista curta. 

Agora, a meta é aumentar as distâncias na patinação de velocidade. No inline, a atleta brasileira chegou a competir em provas de maratona e longas distâncias. Logo, o objetivo no gelo é conseguir correr a prova de 3 mil e 5 mil metros, as maiores distâncias femininas no cenário internacional (além da corrida de largada coletiva).

Eu comecei treinando para as provas curtas, principalmente pela limitação técnica. Agora que já estou com um nível melhor, estamos começando a trabalhar mais resistência, visando a prova de três quilômetros. Para isso, fazemos treinos de controle de ritmo

O projeto de Larissa terminará entre março e abril de 2019. As principais competições definidas pela atleta em conjunto com a CBDG são a final da Copa Americana, nos Estados Unidos, e a final da Copa Canadense, ambas em março. Já a equipe masculina do Brasil segue na expectativa para poder participar da Copa do Mundo nas categorias adulta e júnior.

Larissa Paes (Divulgação)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.