Jaqueline Mourão estreia no esqui cross-country nesta temporada

Jaqueline Mourão em PyeongChang (Reprodução)

Principal nome do esqui cross-country brasileiro na última década, Jaqueline Mourão retornou às competições da modalidade após a disputa dos Jogos Olímpicos de PyeongChang, em fevereiro. A atleta esteve presente em duas provas no Craftsbury Outdoor Center, nos Estados Unidos, entre 22 e 23 de dezembro.

Foi sua primeira prova no esqui cross-country após ela ter retornado ao Mountain Bike, modalidade em que ela começou sua carreira esportiva e na qual competiu nos Jogos Olímpicos de Verão de 2004 e 2008. Após a disputa de PyeongChang, ela intensificou as pedaladas e, com a ótima performance, resolveu encarar novamente as competições. 

No resort norte-americano, Jaqueline participou do Sprint em técnica livre no primeiro dia e terminou na 36ª posição com o tempo de 3min46seg63 (os pontos FIS não foram divulgados). A vitória na bateria decisiva foi da norte-americana Julia Kern, com Jessica Yeaton, da Austrália, na segunda posição e Katharine Ogden, dos Estados Unidos, em terceira. 

No dia seguinte, a brasileira competiu na prova de 5km em técnica livre. Ela terminou na 17ª posição com o tempo de 14min47seg9 e 250.82 pontos FIS. Caittlin Patterson, dos Estados Unidos, foi a vencedora ao completar o percurso em 12min53seg7 e 44.18 pontos FIS. Jessica Yeaton novamente foi prata e Kern ganhou o bronze.

(Correção: a FIS atualizou a pontuação FIS na prova norte-americano. No Sprint, Jaqueline obteve 268.02 pontos. No Distance 5km, sua pontuação foi de 162.26)

Prestes a completar 43 anos (faz aniversário em 27 de dezembro), Jaqueline Mourão não dá sinais de que pretende parar. Na verdade, ela vive uma de suas melhores fases da carreira. Antes de PyeongChang, por exemplo, ela pulverizou recordes nacionais de esqui cross-country e participou de etapas da Copa do Mundo da modalidade. No Mountain Bike, retornou em grande estilo e conquistou o título brasileiro da temporada. 

A meta, portanto, é nem pensar em aposentadoria e buscar a classificação aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, em 2022 - o que a faria ser a atleta com mais participações olímpicas no Brasil. Nesse ciclo, porém, ela quer se dedicar às provas de longa distância, como os 30km feminino do esqui cross-country. 

Gabriela Neres e Manex Silva competem na Itália

Enquanto Jaqueline Mourão participava de suas primeiras provas da temporada de esqui cross-country nos Estados Unidos, outros dois atletas da equipe brasileira da modalidade também estreavam. Gabriela Neres e Manex Silva competiram em Valdidentro - Isolaccia, na Itália, entre 21 e 23 de dezembro

Gabriela participou da prova de 10km em técnica livre na categoria adulta. A brasileira terminou na 41ª posição, com o tempo total de 35min14seg3 e 335.10 pontos FIS. A vencedora foi a italiana Elisa Brocard com 25min28seg6 e 28.57 pontos FIS - Anouk Picon, da França, foi a segunda e Katharina Hennig, da Alemanha, a terceira. 

O jovem Manex Silva, por sua vez, fez três corridas da categoria júnior. Seu melhor desempenho foi nos 10km em técnica livre. Ele terminou na 88ª colocação com 27min28seg8 e 193.29 pontos FIS. É o seu melhor resultado da carreira no Distance. O vencedor foi Jules Chappaz, da França, com 23min06seg3 e 41.81 pontos. 

No Sprint Livre, Manex foi o 87º com 3min29seg52 e 413.08 pontos FIS - nas baterias decisivas, Chappaz conquistou mais uma medalha de ouro. Por fim, na prova de largada coletiva em 15km no estilo clássico, o brasileiro foi o 79º com 54min59seg8 e 553.86 pontos FIS. A vitória foi do alemão Florian Knopf com 40min12seg2 e 38.71 pontos FIS.  

A temporada de esqui cross-country continua para a delegação do Brasil. Matheus Vasconcellos, por exemplo, deve participar de mais uma prova ainda em 2018: uma corrida de 15km em Villach, na Áustria, no dia 29 de dezembro. Depois, em 2019, tem a preparação dos atletas para o Mundial da modalidade, em fevereiro. 

Manex Silva (Reprodução)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.