Escócia e Suécia encerram tabu no Europeu de Curling

Bruce Mouat comandou a Escócia ao título (Stephen Fischer/WCF)

Para a equipe masculina de Curling da Escócia era um tabu que durava dez anos. Para as mulheres da Suécia a espera era de cinco temporadas. Contudo, escoceses e suecas conseguiram superar os obstáculos para conquistarem o Campeonato Europeu da modalidade. A competição foi realizada em Tallin, na Estônia, entre 16 e 24 de novembro. 

O último título da Escócia na disputa masculina do Campeonato Europeu de Curling foi em 2008 com o time de David Murdoch (vice-campeão olímpico em 2014). De lá para cá, o país fundador do esporte não conseguiu chegar ao lugar mais alto do pódio - foi vice-campeão em 2017 e bronze em 2013. De quebra, ainda encerra o domínio de Niklas Edin na competição. O sueco venceu cinco das últimas seis competições europeias. 

"É inacreditável. Foi um jogo muito bom. Estou orgulhoso dos rapazes por jogarem tão bem e conseguirem os lançamentos. É a cereja em cima do bolo de tudo que estamos trabalhando. Tentei manter a calma na final, mas os nervos definitivamente estavam lá", comentou Bruce Mouat ao fim do jogo. 

O jovem skip de 24 anos apostou na regularidade para chegar ao título continental. Na primeira fase, conseguiu obter sete vitórias e duas derrotas, o suficiente para garantir a segunda posição e a vaga à semifinal. Nos playoffs, conseguiu eliminar a surpreendente Itália por 9 a 6 com três pontos no último end. Na decisão, derrotou a Suécia por 9 a 5 com cinco pontos nos últimos três ends do jogo. Os italianos ganharam o bronze ao derrotarem os alemães por 8 a 6 na disputa do terceiro lugar. 

Entre as mulheres, a Suécia teve que esperar cinco anos para soltar o grito de campeão no Campeonato Europeu de Curling. O último triunfo sueco no torneio continental foi em 2013, com Margaretha Sigfridsson de skip. Neste período, o país conseguiu ser vice-campeão em três oportunidades consecutivas: 2015, 2016 e 2017. 

Entretanto, o título coroa um ano praticamente perfeito para a equipe sueca de Anna Hasselborg. Em fevereiro, o time conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de PyeongChang. Em março, já em fim de temporada, levou a prata no Mundial da modalidade. Já nesta temporada, conseguiu duas vitórias em provas do Grand Slam. 

"Eu pensei para mim mesma: esta vez é nossa. É engraçado que conquistamos o ouro olímpico antes de ganhar o Europeu, mas agora nós temos esse ouro e estou muito orgulhosa", comentou Hasselborg após a partida decisiva. 

Anna Hasselborg comemora o ouro antes mesmo do fim da partida (Richard Gray/WCF)

Na final, elas derrotaram a Suíça, de Silvana Tirinzoni e Alina Pätz, por 5 a 4, com direito a dois pontos e virada no último end. A campanha foi muito similar a dos escoceses. A Suécia teve sete vitórias e duas derrotas na primeira fase, terminando na segunda posição. Na semifinal, precisou derrotar a Rússia, campeã europeia em 2015 e 2016, por 7 a 4.

Na Divisão B, a Dinamarca derrotou a Inglaterra por 10 a 4 e conquistou o título entre os homens, mas os dois países garantiram acesso à elite nos lugares de Finlândia e Polônia. Em contrapartida, França e Eslovênia caíram para a Divisão C. Já entre as mulheres, a Noruega derrotou a Estônia por 7 a 6 na decisão e ambos garantiram acesso à elite - Finlândia e Itália foram rebaixadas à segunda divisão, enquanto que Eslováquia e Eslovênia foram rebaixadas para o terceiro grupo. 

O Campeonato Europeu de Curling também definiu os classificados do continente ao Mundial por equipes da modalidade. Entre os homens estão classificados: Suécia, Escócia, Itália, Alemanha, Noruega, Suíça e Rússia. Na disputa feminina garantiram a vaga a Suíça, Suécia, Rússia, Alemanha, Letônia, Escócia e Dinamarca. 

Além disso, mais quatro países europeus também participarão da Repescagem Mundial, em janeiro de 2019. Holanda, Finlândia, Dinamarca e Noruega, entre os homens, e República Tcheca, Finlândia, Noruega e Estônia ficaram com as cotas femininas. A repescagem mundial acontecerá em janeiro de 2019, entre 18 e 23, em Naseby, na Nova Zelândia. 

Japão e Coreia do Sul conquistam Pacífico/Ásia de Curling

Na esteira do Campeonato Europeu de Curling e do America's Challenge (que se transforma em um evento regional para o Brasil), a zona do Pacífico/Ásia, que envolve atletas não só da Ásia, como também da Oceania, também organizou seu torneio continental. As partidas foram realizadas em Gangneung, na Coreia do Sul, entre 3 e 10 de novembro. 

Mesmo sem a equipe medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de PyeongChang, as sul-coreanas conquistaram uma medalha de ouro ao derrotarem o Japão, comandado por Satsuki Fujisawa, por 12 a 8 na decisão. Já a China levou o bronze após vencer Hong Kong por 8 a 3. As finalistas garantiram vaga ao Mundial feminino, enquanto que o terceiro e quarto lugares participarão da repescagem. 

Entre os homens, o Japão do skip Yuta Matsumura foi o campeão após derrotar a China por 9 a 7 - os dois países garantiram vaga ao Mundial masculino. Já a Coreia do Sul levou o bronze ao vencer a Nova Zelândia por 9 a 8 - ambos também confirmaram presença na repescagem. Aliás, como a Nova Zelândia é o país-sede, a vaga fica para Taiwan, quinto colocado.

Sul-coreanas comemoram título em casa (Tom Rowland/WCF)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.