Brasil participa com delegação recorde no cross-country paralímpico

Parte da equipe brasileira que embarcou à Finlândia (Divulgação/CBDN)

A sexta colocação de Cristian Ribera nos Jogos Paralímpicos de PyeongChang já começa a dar os primeiros frutos ao Brasil no esqui cross-country paralímpico. Nove meses após a participação histórica na Coreia do Sul, o país participa da primeira etapa da Copa do Mundo da modalidade com uma delegação recorde. 

As provas acontecem em Vuokatti, na Finlândia, entre 12 e 19 de dezembro. A seleção brasileira está no país escandinavo desde o início do mês para realizar os treinos de adaptação à neve e, anteriormente, realizou um treino intensivo com todos os atletas em São Carlos, no interior paulista, no fim de novembro. 

No total, cinco atletas brasileiros participam do evento. Três deles já têm experiência internacional. Cristian e Aline Rocha representaram o país nos Jogos Paralímpicos de Inverno, em PyeongChang. Já Thomaz Moraes é o único atleta do Brasil na categoria Standing em nível internacional e já participou de etapas da Copa do Mundo nas últimas duas temporadas. 

Entretanto, dois deles são estreantes e mostraram desenvolvimento rápido com as clínicas realizadas em São Carlos, Jundiaí e Santos. Robelson Lula é da Paraíba e faz sua primeira prova internacional após se destacar nos treinos em São Carlos e conquistar a segunda posição no Sprint do Circuito Brasileiro de Rollerski. Já Guilherme Rocha, 22 anos, começou a treinar apenas em março de 2018, mas já mostrou uma evolução gigantesca na modalidade. 

"Essa troca de experiências entre os atletas que já competem há algum tempo e os estreantes será muito importante para alcançarmos nossos objetivos", explica Taylor Brian, integrante da comissão técnica brasileira de esqui cross-country paralímpico. 

O objetivo, claro, é manter a evolução do esporte entre os atletas brasileiros. Cristian, Aline e Thomaz, por exemplo, têm totais condições de melhorarem seus recordes nacionais em provas internacionais. Guilherme e Robelson, por sua vez, podem obter os melhores resultados de estreantes em provas na neve.

Os brasileiros competem em três dias no total. Entre 12 e 13, eles participam de duas provas distance (média e longa distância). Depois, no dia 16, acontece a disputa do sprint, com a prova classificatória e as baterias decisivas. 

A Copa do Mundo de Esqui Cross-Country Paralímpico em Vuokatti vai ser o único desafio da delegação brasileira nesta temporada. Apenas Cristian Ribera ainda terá mais uma competição pela frente: ele deve participar do Mundial da modalidade entre 15 e 24 de fevereiro, no Canadá. É a primeira vez que o Brasil estará presente no torneio. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.