Renovado, Brasil estreia na Copa América de Bobsled 2018/2019

Marley Linhares representou o Brasil nos Jogos da Juventude de Inverno de 2016 (COI/OIS)

Após ter feito o melhor ciclo olímpico de sua história e conquistado seu melhor resultado em Jogos Olímpicos, o Bobsled brasileiro passou a se preocupar com a renovação da equipe para continuar crescendo nos próximos anos. Essa é a proposta da CBDG para esta temporada e que já está em prática na disputa da Copa América da modalidade. 

Diferentemente de anos anteriores, quando a entidade apostou em um mesmo grupo de atletas e participou de todas as provas para melhorar o desempenho em busca da vaga olímpica, a meta agora é testar e experimentar. Por conta disso, o país esteve ausente da abertura da competição e estreou apenas na segunda rodada, em Park City, nos Estados Unidos. 

Apenas quatro atletas embarcaram ao país norte-americano neste momento e eles participam com duas duplas nas provas 2-man. Os pilotos são novos. Marley Linhares, presente nos Jogos da Juventude de 2016, forma uma dupla com Rafael Souza. Já Erick Vianna, integrante da equipe em PyeongChang, é o outro piloto e tem Odirlei Pessoni como companheiro de time. 

Na primeira prova, no dia 19 de novembro, a dupla Marley e Rafael foi a melhor equipe do Brasil ao terminar na 17ª posição com o tempo total de 1min40seg55. Erick e Odirlei ficaram em 21º com 51seg98 - apenas os 20 melhores fazem a segunda descida. Rudy Rinaldi e Boris Vain, de Mônaco, venceram com 1min37seg47.


No dia seguinte, a situação se inverteu. Erick e Odirlei completaram as duas descidas e entraram na classificação final. Eles ficaram em 19º com 1min43seg56. Marley e Rafael, por sua vez, completaram a primeira descida na 16ª posição, mas foram desclassificados na segunda parte da prova. Rudy Rinaldi e Boris Vain ganharam novamente com 1min37seg87. 

Depois das provas em Park City, os atletas brasileiros já embarcaram à Lake Placid, nos Estados Unidos, para a terceira e penúltima etapa da Copa América de bobsled. Serão mais duas provas 2-man entre 30 de novembro e 1º de dezembro. Depois, eles retornam ao Brasil para as festas de fim de ano e, por fim, viajam até Calgary, no Canadá, para o encerramento da temporada.

Participação no Monobob feminino

Na esteira da renovação da equipe brasileira, a CBDG também se prepara para a disputa do Monobob feminino. A categoria foi incluída nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, em Pequim, e os países interessados terão quatro temporadas para treinarem e desenvolverem suas atletas até lá. 

Marina Tuono, integrante da equipe feminina de bobsled na temporada passada e que iria migrar para o skeleton neste ciclo olímpico, foi a escolhida pela entidade para representar o Brasil no Monobob. Ela já participou de treinos em Park City, nos Estados Unidos, e deve realizar sua primeira prova oficial em Lake Placid, no dia 30 de novembro. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.