Com caras novas, Brasil define equipe no Mundial Misto de Curling

Juntos nas Duplas Mistas, Anne Shibuya e Claudio Júnior integram time brasileiro no Mundial Misto (Divulgação/CBDG)

O Curling brasileiro terá uma agenda cheia neste segundo semestre, mas isso não  impedirá o país de participar da quarta edição do Mundial Misto da modalidade, categoria que ainda não integra o programa olímpico. Em 2018, a competição acontecerá em Kelowna, no Canadá, entre 13 e 20 de outubro, e a seleção nacional contará com caras novas. 

Os dois homens integrantes da equipe são estreantes e representam o Brasil pela primeira vez em torneios internacionais: Cláudio Júnior e Erick Santos. Anne Shibuya, presente no Mundial de Duplas Mistas de 2016, será a skip da seleção - primeira vez no evento que uma mulher é a capitã nacional. Já Luciana Barrella, presente nas três edições anteriores, completa a formação titular. 

Os quatro atletas moram e treinam no Canadá, mais especificamente na região de Vancouver - o que facilitou na formação e escolha da equipe. Afinal, pela primeira vez o Mundial Misto de Curling vai acontecer na América do Norte e a distância de Kelowna e Vancouver é de aproximadamente 400km - pouco se lembrarmos que o território canadense só não é maior do que o russo no planeta. 

A seleção brasileira está no Grupo B, ao lado da Austrália, Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Holanda, Rússia (campeã em 2016), Suíça e Estados Unidos. Diferentemente dos anos anteriores, os 35 times inscritos nesta temporada foram divididos em apenas quatro grupos e os quatro melhores de cada chave avançam às oitavas de final. 

Após passar em branco nas duas primeiras edições do Mundial Misto de Curling (em 2015 e 2016), o Brasil conquistou sua primeira vitória da história na temporada passada ao derrotar a França por 7 a 3 - foi a primeira vitória do país em uma competição por equipes, com quatro jogadores. 

A competição também abre uma verdadeira maratona para o curling brasileiro. Nesta temporada, a WCF (Federação Mundial de Curling) reformulou o sistema de classificação para o Mundial por equipes. Duas das 13 vagas na fase de classificação serão definidas em uma repescagem com integrantes da América, Europa e Ásia. Agora, além da disputa do America's Challenge, o Brasil ganha mais uma chance de participar desta competição pela primeira vez. 

Contudo, essa mudança fez com que a CBDG reformulasse seu planejamento. A nova repescagem acontecerá em janeiro de 2019 e obrigou a entidade a agendar o desafio continental para novembro de 2018 (é uma exigência da WCF que o torneio continental acontecesse antes). Já o Campeonato Brasileiro de Curling Duplas Mistas será em fevereiro de 2019 e servirá de classificatória para o Mundial da categoria, em abril. Ou seja, em um período de sete meses, serão cinco eventos oficiais para os atletas nacionais. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.