Adolescentes roubam a cena nas provas de neve do X-Games Oslo

Jennie Lee-Burmansson, 15 anos, se surpreende com o ouro no X-Games na Noruega (Brett Wilhelm/ESPN)

Os teenagers são uma realidade nas principais provas de Snowboard e Esqui Livre na atualidade. Mesmo assim, a cada dia que passa, eles desbancam favoritos e quebram recordes nas modalidades. A última demonstração de força dos atletas adolescentes foi na disputa do X-Games em Oslo, na Noruega, no último fim de semana, 18 a 20 de maio.

O evento, considerado o mais importante para as modalidades radicais, combinou provas de Skate com Snowboard e Esqui Livre Big Air na capital norueguesa. Nenhum dos vencedores das categorias disputadas na neve tem mais de 20 anos. A média de idade deles é de 15,75 - o que mostra que eles ainda têm muito a evoluir no cenário internacional.

A mais nova é a japonesa Kokomo Murase, 13 anos, que venceu a prova de Snowboard Big Air com 78.66 pontos na somatória de seus dois melhores saltos. Estreante na competição, a atleta do Japão fez história ao se tornar na primeira mulher a executar um salto double cork 1260 - o que lhe garantiu a medalha de ouro.

Ela ainda ficou à frente da norte-americana Julia Marino, segunda colocada e campeã da Copa do Mundo em 2016, da finlandesa Enni Rukajärvi, terceira colocada e dona de duas medalhas olímpicas no slopestyle, e até da austríaca Anna Gasser, campeã olímpica nesta mesma prova em 2018.


No Esqui Livre Big Air feminino, a sueca Jennie Lee-Burmansson, 15, manteve a boa fase. Campeã da Copa do Mundo de esqui slopestyle, ela venceu a disputa do X-Games com 77.66 pontos. A suíça Giulia Tanno, vice-campeã da Copa do Mundo, foi a segunda colocada, e a sueca Tiril Sjåstad Christiansen foi a terceira. A chilena Dominique Ohaco, única latino-americana presentes nas provas de neve, terminou na quinta posição.

Entre os homens, o japonês Takeru Otsuka, 17, foi o campeão do Snowboard Big Air com 91 pontos no total. Dono de ouros em X-Games e bronze no Mundial de 2017, o norueguês Markus Kleveland ficou com a prata. Já o norte-americano Chris Corning, prata e bronze no Mundial de Snowboard de 2017 e atual campeão da Copa do Mundo, completou o pódio. Campeão olímpico em 2018, o canadense Sebastian Toutant foi o quarto.

Por fim, no Esqui Livre Big Air, o ouro foi do norueguês Birk Rudd, 18, com 85.33 pontos - seu primeiro grande resultado internacional desde o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno de 2016. O sueco Henrik Harlaut, seis ouros em X-Games e campeão da Copa do Mundo em 2017, foi o segundo. Já Øystein Bråten, também da Noruega e campeão olímpico no slopestyle, foi o terceiro.

abordei em 2017 a participação cada vez maior de atletas adolescentes em provas de Snowboard e Esqui Livre. A tendência é eles ganharem cada vez mais espaço - ao mesmo tempo em que o COI busca meios de aproximar o público jovem dos Jogos Olímpicos de Inverno. Nomes como Kelly Sildaru, Chloe Kim, Markus Kleveland, entre outros, podem transformar os esportes de inverno em um futuro próximo.

Quanto às competições, a maioria desses atletas retorna para suas férias e pré-temporada. A partir de julho começa a temporada do Hemisfério Sul e o resort de Cardrona, na Nova Zelândia, receberá as primeiras etapas da Copa do Mundo freestyle no mês de agosto.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.