Klaebo e Weng conquistam Copa do Mundo de Esqui Cross-Country

Johannes Klaebo conquista primeiro Globo de Cristal no esqui cross-country (NordicFocus)

Líderes da Copa do Mundo de Esqui Cross-Country desde janeiro de 2018, os noruegueses Johannes Klæbo e Heidi Weng confirmaram o favoritismo e conquistaram o título desta temporada da competição. A última etapa contou com três provas em Falun, na Suécia, ao longo desse fim de semana, 16 a 18 de março. 

As conquistas ratificam o domínio da Noruega no esqui cross-country. O país escandinavo conquistou nada menos do que 17 das 44 edições masculinas e 14 das 39 disputas femininas. Aliás, é o quinto título consecutivo entre as mulheres e o quinto em seis temporadas entre os homens (seriam seis conquistas consecutivas se Martin Sundby não tivesse perdido o troféu da temporada 2015 por conta do doping). 

Heidi Weng, 27 anos, conquista o bicampeonato da Copa do Mundo de Esqui Cross-Country. Ela assumiu a liderança após vencer o Tour de Ski e ganhar, assim, 400 pontos. A norueguesa ainda subiu ao pódio em mais duas provas em janeiro, mas depois disso entrou em má fase. Ficou longe do pódio nos Jogos Olímpicos e em apenas uma etapa no restante da temporada conseguiu ficar entre as 18 melhores! 

Tanto que em Falun ela precisou torcer contra sua compatriota Ingvild Østberg e a norte-americana Jessica Diggins, suas principais rivais, para garantir seu segundo Globo de Cristal. Na prova de Sprint Livre a vencedora foi Hanna Falk, da Suécia, seguida pela também sueca Jonna Sundling,  prata, e a norueguesa Marit Bjørgen, bronze. 

Nos 10km estilo clássico e largada coletiva, a finlandesa Krista Pärmäköski foi a vencedora com 26min00seg5, apenas dois décimos à frente de Bjørgen - Østberg completou o pódio. Por fim, na prova de perseguição 10km em técnica livre, Marit Bjørgen conseguiu o ouro com 24min18seg9, seguida por Diggins, segunda, e a norte-americana Sadie Bjornsen, terceira. Maior medalhista olímpica, Bjørgen ainda conseguiu 200 pontos por ter vencido a etapa final da Copa do Mundo na somatória dos tempos e Jessica Diggins levou 160 pontos.


Dessa forma, Heidi Weng terminou o ranking feminino da Copa do Mundo de Esqui Cross-Country com 1476 pontos, apenas 40 à frente de Diggins - Ingvild Østberg foi a terceira com 1414. "Eu tentei fazer o meu melhor e sabia que teria que ser rápida para assegurar o título. É incrível vencer o Globo de Cristal geral", comentou a campeã.

Entre os homens, Johannes Klæbo, 21, não teve tanto sofrimento para conquistar seu primeiro Globo de Cristal da carreira. Com seis vitórias consecutivas no início da temporada, o jovem norueguês dominou o circuito e só perdeu a liderança após o Tour de Ski, que ele não disputou para se preparar para os Jogos Olímpicos - mas retomou a liderança após duas provas. 

Em Falun, ele ainda fez sua parte e conquistou a vitória no Sprint Livre, sua especialidade, ao chegar à frente do italiano Federico Pellegrino, prata, e do francês Lucas Chavanat, bronze. Nos 15km estilo clássico e largada coletiva, o russo Alexander Bolshunov conquistou sua primeira vitória na Copa do Mundo com 36min59seg8, pouco mais de um segundo à frente do sueco Calle Halfvarsson, segundo - o italiano Francesco de Fabiani foi o terceiro.

Na última prova, 15km de perseguição em técnica livre, Bolshunov venceu novamente com 35min03seg3 - Alex Harvey, do Canadá, foi o segundo e o suíço Dario Cologna completou o pódio. Bolshunov ainda conquistou 200 pontos por ser o mais rápido na etapa final da Copa do Mundo. 

No fim, Klæbo terminou o ranking masculino da Copa do Mundo de Esqui Cross-Country com 1409 pontos. O suíço Dario Cologna terminou na segunda posição geral com 1290 pontos, enquanto Martin Sundby foi o terceiro com 1261. "Os últimos dias foram difíceis, mas é legal estar aqui com o Globo de Cristal", comentou o jovem norueguês, o mais jovem campeão entre os homens.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.