João Victor está no Top 100 da Patinação de Velocidade Júnior

João Victor da Silva está no top 100 dos 500 metros da categoria Júnior B (Divulgação)

Responsável por recolocar o Brasil no cenário internacional da patinação de velocidade em 2015, o jovem João Victor da Silva, 16 anos, está no Top 100 dos atletas mais rápidos da modalidade nos 500 metros da categoria "Júnior B" (16-17 anos). O feito foi obtido em fevereiro durante sequência de provas no Japão, onde mora com a família. 

João entrou para a seleta lista graças ao tempo de 38seg48 obtido no M-Wave Competition, realizado no rink olímpico de Nagano, sede dos Jogos de Inverno de 1998, no dia 17 de fevereiro - o brasileiro terminou a prova na 41ª posição da classificação final, à frente de outros 45 competidores (não há divisão de faixa etária na divulgação dos resultados). 

Dessa forma, João também repete o feito de Gabriel Ohnmacht, que também esteve entre os cem mais rápidos em 2017. Se levarmos apenas os atletas nascidos em 2001, como é o caso do brasileiro, ele tem o 29º tempo da temporada nessa distância - além de ter estabelecido o novo recorde brasileiro júnior na patinação de velocidade. 

Uma semana depois, no dia 24, João Victor participou do oitavo National High School Selection, disputado por alunos do ensino médio no Japão. Nos 1000 metros, o brasileiro conseguiu o tempo de 1min17seg66, novamente recorde nacional júnior, e 51ª marca mais rápida do mundo em sua faixa etária (16 anos). 

Também atleta júnior da patinação de velocidade do Brasil, Gabriel Ohnmacht não competiu tanto nesta temporada. Ele sofreu uma queda durante uma competição, no início de dezembro, que o deixou de fora de alguns torneios em Inzell, na Alemanha. Ele iria participar da Viking Race em março, na Holanda. O evento é a principal competição da modalidade para jovens atletas, mas problemas o impediram de competir (veja abaixo). 

Marcelo Donadio, único atleta adulto da equipe brasileira de patinação de velocidade, participou de nove provas após conquistar o título do primeiro Campeonato Brasileiro Sprint em novembro de 2017. O atleta, que mora na Itália, conseguiu estabelecer dois recordes nacionais nessa temporada. 

Nos 500 metros da Frillense Cup em Inzell, na Alemanha, no dia 3 de fevereiro, Marcelo terminou na nona colocação com 37seg45, a melhor marca de sua carreira e recorde brasileiro adulto. Em mais uma etapa da Frillense Cup, mas no dia 24 de fevereiro, ele conquistou a medalha de bronze nos 1000 metros com 1min13seg58, mais um recorde pessoal e nacional. 

Marcelo Donadio

O que falta para esses atletas competirem na Copa do Mundo? 

Os três têm índices para disputar a Copa do Mundo de Patinação de Velocidade, o principal torneio que reúne a elite do esporte (Marcelo no adulto; Gabriel e João na categoria júnior). Contudo, o Brasil possui filiação à ISU (União Internacional de Patinação) apenas na patinação artística - o que impede os atletas de competirem em torneios organizados pela entidade internacional. 

Apesar de ser o mesmo órgão, os processos de filiação são diferentes em cada modalidade. Dessa forma, há países que são filiados apenas na patinação artística, outros apenas na velocidade ou ainda nos dois esportes. No passado, o Brasil até tinha a filiação na patinação de velocidade, tanto que competiu com Felipe de Souza nas Copas do Mundo da Patinação de Pista Curta entre 2004 e 2005 e na de Velocidade em 2009. 

Contudo, a crise administrativa da CBDG em 2011 e 2012 fez com que o país não tivesse nenhum atleta por muitos anos, perdendo sua filiação na velocidade. Agora, a confederação luta para reconquistar o seu registro. A expectativa é conseguir antes da abertura da próxima temporada (em outubro) para que os atletas possam competir o próximo ciclo olímpico na elite do esporte.

Gabriel Ohnmacht

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.