Diário de PyeongChang #27 - Isadora Williams despede-se dos Jogos

Isadora Williams não foi bem no programa longo, mas fica entre as 24 melhores dos Jogos Olímpicos

Foi um anticlímax, sem dúvida, mas não diminui o feito histórico obtido por Isadora Williams nos Jogos Olímpicos de PyeongChang. Nessa sexta-feira, 23 de fevereiro, a brasileira entrou no rink da Gangneung Ice Arena como a única latino-americana da história a participar do programa longo da patinação artística olímpica - ainda que seu desempenho não tenha sido o mesmo de dois dias atrás.

Visivelmente nervosa, Isadora não conseguiu encaixar seus saltos e, em um deles, acabou caindo. Sem confiança, finalizou sem brilho a sua apresentação e terminou o programa longo na 24ª colocação, com 88.44 pontos (38.39 nos elementos técnicos, 51.05 nos componentes, com uma dedução). É sua pior nota nesta categoria desde dezembro de 2016. 

A pontuação derrubou sua nota também na classificação final. No total, a brasileira despede-se dos Jogos Olímpicos com 144.18 pontos na somatória das duas apresentações e a 24ª colocação final - à frente das seis atletas que não avançaram no programa curto. A jovem russa Alina Zagitova, 15 anos, foi a campeã olímpica com 239.57 pontos. Sua compatriota Evgenia Medvedeva, campeã mundial nas últimas duas temporadas, ficou com a prata e a canadense Kaetlyn Osmond foi bronze. 

"Não tem muitas palavras para isso. Eu não fui bem, fiquei nervosa com a espera para a apresentação. Eu fiquei feliz por ter classificado no programa longo, foi a primeira vez do Brasil. Mas tinha mais expectativas para esse programa. Não é o que eu queria ter mostrado", comentou Isadora Williams na zona mista. 

É normal a atleta se sentir decepcionada após um resultado ruim. Ela treinou bastante para chegar até lá e, diferentemente do que muitos imaginam, praticou os dois programas na mesma proporção, com atividades de manhã e tarde em cinco dias da semana. Contudo, quando a brasileira esfriar a cabeça, ela vai entender que quedas fazem parte do esporte e o que importa, no fim, é como reagir a elas. 

Após os Jogos de Sochi, por exemplo, Isadora Williams ficou seis meses patinar após terminar na última colocação, mas decidiu retornar graças às mensagens de carinho do público brasileiro. De lá para cá ela cresceu, amadureceu e evoluiu técnica e mentalmente na patinação. Tornou-se uma patinadora mais segura, conquistou cinco medalhas internacionais, obteve a vaga olímpica novamente e colocou o Brasil e a América Latina na final olímpica da patinação artística no gelo pela primeira vez na história. 

Essas conquistas já foram eternizadas e comemorada - resultado nenhum vai conseguir apagar ou diminuir estes feitos. É impossível falar em decepção da Isadora Williams quando, na verdade, se superou para estar em lugares e torneios que nenhuma outra pessoa no continente conseguiu atingir. Ela é, sem dúvida, a grande atração do Brasil nos Jogos Olímpicos de PyeongChang.

Ainda na zona mista, de cabeça quente pelo resultado ruim no programa longo, Isadora Williams deixou seu futuro aberto. "Eu vou participar do Mundial, em Milão, mas depois não sei. Preciso ver ainda", comentou. 

A frase pode ser apenas reflexo do desempenho abaixo do esperado no programa longo ou ela realmente pode querer pensar em se aposentar do esporte. É uma decisão pessoal. Independentemente se ela vai continuar ou não, resta a nós, brasileiros, apenas agradecer e aplaudir por tudo aquilo que Isadora fez e faz pelos esportes de inverno do Brasil.

Isadora será a porta-bandeira brasileira na Cerimônia de Encerramento

No fim, o dia da Isadora Williams, que começou triste, vai terminar com uma notícia boa. Ela foi escolhida pela delegação brasileira para ser porta-bandeira do Time Brasil na Cerimônia de Encerramento. É a segunda edição consecutiva que ela levará a bandeira do país na despedida dos Jogos Olímpicos de Inverno. 

Stefano Arnhold, presidente da CBDN e chefe da missão brasileira em PyeongChang, fez o anúncio à brasileira após o encerramento da prova feminina de patinação artística, ainda na Gangneung Ice Arena. "Você fez história aqui em PyeongChang", comentou Stefano à brasileira momentos antes do anúncio. "É sério?", questionou a brasileira, surpresa com o convite. A Cerimônia de Encerramento dos Jogos de PyeongChang será no domingo, 25 de fevereiro, às 20h no horário local (8h horário de Brasília). 

Isadora com a bandeira brasileira: ela será porta-bandeira na Cerimônia de Encerramento

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.