COI suspende campeão olímpico dos Jogos de Inverno de 2014

Legkov, à frente, já foi suspenso por doping. Vylegzhanin deve ser o próximo (Divulgação/NordicFocus)

Enquanto busca manter sua imagem intacta após a divulgação do esquema de doping no Relatório McLaren, o esporte russo sofreu nesta quarta-feira, 1º de novembro, mais um duro golpe. O COI (Comitê Olímpico Internacional), após análise da "Comissão Oswald" decidiu desclassificar dois atletas de esqui cross-country do país que participaram dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, em 2014. 

Um deles é o esquiador Alexander Legkov, dono de duas medalhas na última edição dos Jogos de Inverno: um ouro nos 50km de esqui cross-country e uma prata no revezamento 4x10km. O outro atleta suspenso é Evgeniy Belov, que foi o 18º colocado no skiatlo 15+15km. Eles violaram o Artigo 2 das Regras Antidoping nos Jogos de Sochi, ou seja, utilização de substâncias e métodos proibidos. 

Com a medida, os dois atletas estão oficialmente desclassificados dos Jogos Olímpicos de 2014. Legkov, portanto, perde as duas medalhas conquistadas e o Comitê Olímpico Russo precisa devolver ao COI as medalhas, os pins e os diplomas entregues ao atleta durante a cerimônia de premiação. Eles também estão inelegíveis para os Jogos de Inverno em PyeongChang, na Coreia do Sul, em fevereiro de 2018. 

Essa é a primeira medida tomada pelo COI após investigação da "Comissão Oswald", composta por Denis Oswald, presidente, Juan Antonio Samaranch Junior, filho do ex-presidente do Comitê Olímpico Internacional, e Patrick Baumann, ex-atleta de basquete da Suíça. Seu objetivo é apurar as análises de doping nos Jogos Olímpicos de 2014.

Tanto que a situação ainda deve piorar para a Rùssia. Outros quatro atletas de esqui cross-country do país - Julia Ivanova, Evgenia Shapovalova, Alexey Petukhov e Maxim Vylegzhanin - já foram ouvidos pela comissão e devem receber suas sentenças no início da próxima semana. A tendência, claro, é receberem penas similares às de Legkov e Belov. O curioso é que Vylegzhanin foi medalhista de prata justamente na prova de 50km. Dessa forma, o ouro ficaria com o também russo Ilia Chernousov, terceiro colocado na corrida.

Por conta da denúncia do Relatório McLaren, a Rússia foi suspensa dos Jogos Paralímpicos de Inverno de 2018 e sua participação ainda é uma incógnita na edição dos Jogos Olímpicos. O COI espera decidir essa questão no início de dezembro. Até lá,  os atletas russos continuam na incógnita que cercam suas participações olímpicas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.