Bobsled brasileiro se aproxima da vaga olímpica no 4-man

Bobsled brasileiro em ação na Copa América de Bobsled, em Calgary (Ron LeBlanc/RJ Photography)

A quarta participação olímpica do quarteto brasileiro de Bobsled está cada dia mais próxima. A equipe encerrou nessa sexta-feira, 17 de novembro, a disputa da terceira e quarta etapas da Copa América da modalidade em Calgary, no Canadá, e repetiu os bons resultados conquistados na abertura da competição no início do mês. 

Na primeira prova realizada na pista canadense, no dia 16, o trenó brasileiro, comandado por Edson Bindilatti e com os pushers Odirlei Pessoni, Edson Martins e Rafael de Souza, terminou na sétima posição com o tempo combinado de 1min51seg00. O vencedor foi o norte-americano Geoffrey Gadbois com 1min50seg24, seguido pelo seu compatriota Hunter Church, prata, e pelo sul-coreano Youngjin Suk, bronze. 

Já na segunda corrida, realizada no dia 17, a IBSF (Federação Internacional de Bobsled e Skeleton) ainda não divulgou os resultados oficiais. Contudo, de acordo com o relato dos atletas brasileiros nas redes sociais, o país terminou na quarta posição após liderar a primeira descida. Além disso, nos dois dias, o conjunto do Brasil teve o melhor push (tempo de largada) da etapa. 

Os dois resultados, somados à vitória brasileira na etapa anterior, deve manter o país entre os vinte melhores do ranking internacional de bobsled. Após a primeira etapa da Copa América e da Copa do Mundo, o Brasil estava na 16ª posição - a sua melhor colocação na história da modalidade. 

Se a situação está tranquila no 4-man, nas duplas a delegação brasileira vai ter mais trabalho para garantir a classificação olímpica. Em Calgary, o melhor desempenho foi de Cristiano Paes e Fabio Silva. Na primeira descida, eles terminaram na sétima posição com 1min52seg99 - Geoffrey Gadbois venceu com 1min51seg97. Na segunda prova, os brasileiros terminaram em oitavo com 1min53seg05 - Gadbois venceu mais uma com 1min52seg12.

Já a dupla comandada por Edson Bindilatti não teve um bom resultado nesta etapa. Na primeira prova, ao lado de Edson Martins, a equipe ficou na 11ª posição com 1min53seg74. No dia seguinte, com Erick Vianna como breakman, terminou na 13ª colocação com 1min54seg46. Os dois times brasileiros estão entre os 40 melhores no ranking e seguem com chances de classificação. 

Já no feminino, com a dupla Heather Paes e Nicole Silveira, o Brasil terminou a primeira corrida da Copa América de Bobsled em Calgary na nona posição, com 1min58seg20, dois segundos e meio mais lento do que as chinesas Qing Ying e Xinyi He, vencedoras da prova com 1min55seg63. No dia seguinte, Heather e Nicole repetiu a nona colocação com 1min57seg98. A norte-americana Kristi Koplin venceu com 1min54seg86. No ranking, as brasileiras estão na 29ª posição e ainda brigam por uma das 20 vagas aos Jogos Olímpicos de PyeongChang. 

Agora, a delegação brasileira de Bobsled embarca para Park City, nos Estados Unidos, para a disputa da quinta e sexta etapas da Copa América de Bobsled entre 28 de novembro e 1º de dezembro. São as últimas provas do ano para o Brasil. Depois, em janeiro, acontecem as últimas duas corridas da competição, o que certamente definirá a classificação brasileira aos Jogos Olímpicos de Inverno. 

Skeleton

Quem também esteve em Calgary para a disputa da Copa América, mas no skeleton, foi o brasileiro Gui Pádua. O campeão mundial de paraquedismo e rosto conhecido em diversos programas de televisão estreou na modalidade na temporada passada em busca da classificação olímpica. Contudo, no Canadá, ele não teve sorte e não conseguiu terminar nenhuma das duas descidas - não pontuando para o ranking internacional. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.