COI altera processo de candidatura para os Jogos de Inverno de 2026

Sessão do COI que definiu as mudanças para a candidatura dos Jogos (IOC/Greg Martin)

O que era uma forte tendência na discussão olímpica se confirmou na última terça-feira, 11 de julho. O COI (Comitê Olímpico Internacional) alterou as regras de candidatura para as cidades interessadas em sediar os Jogos Olímpicos. A medida será testada pela primeira vez durante a escolha dos local que receberá os Jogos de Inverno de 2026. 

A principal mudança consiste na ampliação e fortalecimento da "fase de convite". Nela, as cidades terão um prazo de um ano para demonstrarem interesse e/ou aceitarem o chamado do COI para organizar os Jogos Olímpicos. No caso específico de 2026, esse período começa em setembro deste ano e terminará em agosto de 2018. 

Além do tempo maior, o Comitê Olímpico Internacional se compromete a prestar uma assistência maior às propostas. A ajuda inclui a realização de workshops, a inclusão das cidades como observadoras da organização dos Jogos de PyeongChang, em fevereiro de 2018, e a criação de projetos didáticos em itens essenciais, como legado, engajamento e planejamento. 

Apenas as cidades com os projetos aprovados, detalhando os compromissos e garantias, avançam à "fase de avaliação" e serão consideradas candidatas oficiais. A partir daí, a entidade realizará visitas constantes aos locais e analisará uma série de relatórios para escolher a vencedora durante a Sessão do COI em 2019. 

A mudança é resposta do Comitê Olímpico Internacional ao desinteresse dos grandes centros em receber os Jogos Olímpicos, seja de verão ou de inverno. O gigantismo dos gastos e a falta de legado, principalmente nas últimas edições, assustaram possíveis interessados. 

Na escolha da sede dos Jogos de 2022, por exemplo, apenas Almaty (Cazaquistão) e Pequim (China) chegaram à fase final do processo de candidatura. Na ocasião, quatro cidades apresentaram desistências formais (Oslo, Lviv, Estocolmo e Cracóvia) e outras três abandonaram a proposta ainda no início (Barcelona, Davos e Munique). 

Em 2026, contudo, a expectativa é ter uma escolha mais tranquila. Sion, na Suíça, já apresentou sua candidatura antes mesmo das mudanças realizadas pelo COI. Calgary, no Canadá, analisa com carinho a possibilidade de candidatura, talvez até em parceria com Edmonton. Innsbruck, na Áustria, também foi convidada, enquanto que Erzurum, na Turquia, Sapporo, no Japão, e Almaty, no Cazaquistão, analisam suas participações. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.