Brasil encerra sua participação no Mundial de Hóquei Inline da IIHF

Goleiro do Brasil tenta evitar o gol argentino no Mundial (Rene Miko)

A equipe brasileira bem que tentou, mas não conseguiu evitar o pior no Mundial de Hóquei Inline da IIHF neste ano. O país ficou entre os três últimos colocados da Divisão 1 da competição realizada ao longo dessa semana em Bratislava, na Eslováquia, e retornou à zona de classificação na próxima temporada. 

Dos oito times participantes, apenas os cinco primeiros garantiam participação na próxima edição do Mundial, em 2019. Após uma primeira fase com três derrotas e a eliminação nas quartas de final para a Eslovênia, o Brasil fez o jogo da vida contra a Argentina na última sexta-feira para determinar quem seguia com chance de sobrevivência.

Em um jogo muito equilibrado, os argentinos levaram a melhor e venceram por 5 a 4. A equipe argentina saiu na frente, tomou a virada, mas empatou em 3 a 3 antes do intervalo. No terceiro período, os hermanos conseguiram o quarto gol e os brasileiros buscaram o empate novamente no início do último quarto. Contudo, Rodrigo Irisarri fez o gol que garantiu a vitória argentina com menos de sete minutos para o fim da partida. 



O resultado fez com que o Brasil dividisse a última posição da Divisão 1 do Mundial de Hóquei Inline com a Nova Zelândia - as únicas duas seleções que não venceram no torneio. Em outro jogo tenso, a Argentina conseguiu se salvar ao derrotar a Hungria nos shootouts após empatar em 4 a 4 no tempo normal e no overtime. Assim, os húngaros fazem companhia aos brasileiros e neozelandeses na zona de classificação na próxima temporada. 

Dona da melhor campanha da primeira fase, a Eslovênia conquistou o título e o acesso da Divisão 1 ao vencer a Letônia por 6 a 3 na final realizada nesse sábado, 1º de julho. A Austrália ficou com a medalha de bronze após derrotar o Reino Unido por 7 a 3 na disputa do terceiro lugar.

Apesar da queda para a zona de classificação, a participação marcou o retorno do Brasil ao Mundial de Hóquei Inline da IIHF após três temporadas. Além disso, entre 2003 e 2009, o país conquistou seis medalhas na Divisão 1, incluindo a medalha de ouro dez anos atrás, curiosamente também em Bratislava. Com uma geração "envelhecida", a equipe brasileira buscou nesse ano iniciar uma renovação no grupo de jogadores - tema desta extensa matéria publicada no portal da Federação Internacional de Hóquei no Gelo

Estados Unidos conquistam título na elite

Maiores vencedores da história do Mundial de Hóquei Inline da IIHF, os Estados Unidos garantiram mais um troféu da competição nessa temporada. O país ficou com o título após derrotar a Finlândia por 4 a 2 na decisão realizada nesse sábado. É a sétima conquista dos norte-americanos em vinte edições - o primeiro desde 2013. 

Os campeões tiveram uma campanha perfeita, com seis vitórias em seis jogos, 37 gols marcados e apenas 12 sofridos. A medalha de bronze ficou para a República Tcheca, que venceu a Suécia por 5 a 2 na disputa pelo terceiro lugar. Em contrapartida, a Croácia perdeu para a Alemanha por 8 a 5 no jogo do descenso e está rebaixada à Divisão 1 em 2019. 

EUA comemoram título no Mundial de Hóquei Inline (Jan Sukup)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.