Seleção brasileira estreia no Mundial de Hóquei Inline da IIHF

Treinamento da equipe brasileira de hóquei inline (Divulgação)

Após 14 meses de muito trabalho, treinamento e dedicação, a seleção brasileira de hóquei finaliza sua preparação e está pronta para a estreia na Divisão 1 do Mundial de Hóquei Inline da IIHF (Federação Internacional de Hóquei no Gelo). A primeira partida será neste domingo, 25 de junho, às 15h no horário local (10h no horário de Brasília), contra a Austrália. 

A competição acontece em Bratislava, na Eslováquia, e conta com 16 times: oito na elite e outros oito na Divisão 1, que garante acesso ao campeão. O Brasil está no Grupo D e enfrenta, além da Austrália, o Reino Unido e a Letônia na primeira fase. Na outra chave estão Argentina, Nova Zelândia, Hungria e Eslovênia. Confira aqui a tabela completa do Mundial. Todas as partidas serão transmitidas via streaming por meio do site Fanseat! A plataforma cobra oito euros por mês, mas é possível experimentar um mês grátis! 

O objetivo brasileiro é retomar o bom desempenho da modalidade no início dos anos 2000 e consolidar o hóquei no país. Para isso, Xande Guilardi e Luiz Fernando, veteranos da seleção, coordenaram um projeto ousado para montar uma equipe forte e levar os melhores jogadores do Brasil à competição. 

O trabalho começou em abril de 2016 e, no total, reuniu mais de 40 atletas de hóquei inline do país nos treinamentos e seletivas realizados nos últimos 14 meses. A meta era reunir competidores experientes e novatos em grupos de rendimento e de desenvolvimento, montando uma seleção permanente capaz de identificar talentos e aprimorar o entrosamento da equipe. A comissão técnica é formada pelo norte-americano Skyler Hoar e pelo dirigente Alexandre Capelle. 


O Brasil retorna ao Mundial de Hóquei Inline da IIHF após três anos. A última participação foi 2014, na República Tcheca - na ocasião, a seleção brasileira venceu apenas um jogo e terminou na última colocação. Contudo, entre 2003 e 2009 o país viveu sua melhor fase, com seis medalhas conquistadas na Divisão 1: um ouro em 2007, duas pratas em 2003 e 2004 e três bronzes em 2006, 2008 e 2009. 

Regulamento

O sistema de disputa do Mundial de Hóquei Inline é o mesmo tanto para a elite quanto para a Divisão 1. São dois grupos de quatro seleções, que se enfrentam entre si para determinar a posição final dentro da chave. Todas as equipes avançam às quartas de final, com o líder de um grupo enfrentando o quarto colocado e o segundo jogando contra o terceiro. A partir daí é eliminatória em jogo único: quem vencer avança até a final da competição, no dia 1º de julho. 

O último colocado da elite será rebaixado e disputará a Divisão 1 no Mundial de 2019. Em seu lugar entra o campeão do acesso nesta temporada. Já os três últimos da Divisão 1 serão rebaixados para o torneio de qualificação ao lado de seleções que ficaram de fora da edição deste ano. 

Finalistas das últimas duas edições, Canadá e Finlândia novamente são os favoritos para vencerem a divisão de elite do Mundial de Hóquei Inline. Além deles, a Suécia, dona de cinco títulos, e os Estados Unidos, maior vencedor do torneio com seis troféus, também têm boas chances de conquistarem a medalha de ouro. 

Finlândia e Canadá fizeram as duas últimas finais (Divulgação)

Diferenças entre gelo e inline

Puck: os discos são similares, mas possuem particularidades. No gelo, ele pesa entre 156 e 170 gramas, enquanto que no inline não ultrapassa 120 gramas. Além disso, o puck possui pequenos orifícios para conseguir deslizar na quadra. 

Tempo de jogo: no Mundial de Hóquei inline da IIHF, a partida é dividida em quatro períodos de doze minutos, enquanto que no gelo são três períodos de 20 minutos. Há um intervalo de dez minutos após o segundo período, enquanto que entre o primeiro e o terceiro há um descanso de apenas dois minutos. Em caso de empate, há um overtime de cinco minutos e, se a igualdade persistir, acontece a disputa de pênaltis com três chutes para cada lado. 

Equipes: no inline são quatro jogadores de linha (dois atacantes e dois defensores) e um goleiro, enquanto que no gelo o time é formado por um goleiro e cinco jogadores de linha (dois defensores e três atacantes). Contudo, as trocas de linhas também são constantes. 

Penalidades: na quadra a penalidade mínima é de 90 segundos e a máxima é de quatro minutos. Diferentemente do gelo, só há power play com um jogador de vantagem (4 a 3). Um time não pode ter menos de três atletas na linha, exceto durante os últimos dois minutos do tempo regulamentar e no overtime

Divisões na quadra: não há linhas azuis que dividem as zonas de ataque, de defesa e neutra no hóquei inline. Existe apenas uma linha vermelha no centro do rink que também é utilizada em situações de impedimento. Contudo, um passe da zona de defesa para o ataque não pode cruzar essa linha vermelha. 

Contato físico: diferentemente do hóquei no gelo, o bodychecking (forte contato físico entre os jogadores para afastar o rival do puck) não é permitido no inline e resulta em pênalti contra a equipe. 

Jogo do Brasil no Mundial Inline de 2014 (Ivana Hoskova)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.