Rússia conquista bicampeonato no Mundial de Patinação Sincronizada

Time Paradise durante performance no programa curto (Divulgação/ISU)

Em 2015, o Time Paradise, da Rússia, conquistou a primeira medalha do país no Mundial de Patinação Sincronizada. No ano seguinte ganhou o primeiro ouro. Já em 2017 ratificou o domínio na modalidade. A equipe russa garantiu o bicampeonato mundial neste sábado, 8 de abril, em Colorado Springs, nos Estados Unidos. 

Líder do programa curto com 72.62 pontos, o Time Paradise ficou na segunda posição do programa longo com 136.08 pontos em sua apresentação - o suficiente para obter 208.70 pontos na somatória das notas e garantir o segundo título mundial da equipe e o terceiro pódio consecutivo na competição. 

A vitória, porém, não foi fácil. O Time Marigold IceUnity, da Finlândia, venceu o programa longo com 137.70 pontos e obteve a nota final de 208.58 pontos - apenas 0.12 atrás da equipe russa. Campeã em 2002, 2004, 2006 e 2014, a equipe finlandesa retorna ao pódio após duas temporadas. Quem também voltou a conquistar medalha foi o Time Nexxice, do Canadá. Com 197.54 pontos, as canadenses ficaram na terceira posição. 

Neste ano, 22 conjuntos de 18 países participaram do Mundial de Patinação Sincronizada. Representante latino-americano nas últimas duas temporadas, o México não competiu neste ano. A Finlândia é a maior campeã com oito títulos conquistados por três equipes diferentes. A Suécia tem seis ouros com o Time Surprise. Já o Canadá, com dois triunfos do Time Nexxice, é o único país não-europeu a vencer a competição. 

Conheça a Patinação Sincronizada

O Mundial de Patinação Sincronizada chegou à 18ª edição em 2017. A modalidade surgiu na década de 1950 graças aos esforços de Richard Porter para entreter os torcedores do time de hóquei no gelo da Universidade de Michigan. A partir dos anos 1970 o interesse pelo esporte cresceu e encontrou sua plenitude a partir de 2000 com a criação do Mundial.

Regulamentada pela ISU, a patinação sincronizada tem a mesma avaliação das categorias olímpicas da patinação artística. A única diferença é que o trabalho em equipe constitui pontos importantes nas análises dos juízes - afinal, na categoria senior, são 20 mulheres no rink executando manobras ao mesmo tempo.

Apesar do crescimento notável neste século e dos esforços institucionais por parte da ISU, a modalidade ainda luta para entrar no programa dos Jogos Olímpicos. Um dos entraves para isso é a ausência da patinação sincronizada em outros países, como o Brasil. Por aqui, o esporte ainda é um sonho antigo de Elena Rodrigues, ex-patinadora do país. 

Confira a apresentação do Time Paradise no programa curto do Mundial 2017:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.