Invicto, Canadá está na final do Mundial masculino de Curling

Canadá avança à final do Mundial masculino de Curling (Richard Gray/WCF)

Na disputa feminina do Mundial de Curling, o Canadá atropelou as rivais e conquistou o título invicto. Agora, na versão masculina, caminha para o mesmo enredo. Jogando em casa e comandado por Brad Gushue, o país venceu todos os rivais até o momento e já está na final da competição realizada em Edmonton, na província de Alberta. 

Na semifinal, realizada na noite desta sexta-feira, 7 de abril, os canadenses derrotaram a Suécia, capitaneada por Niklas Edin, por 7 a 4 no playoff entre o primeiro e o segundo colocados da primeira fase. Com atuação impecável nos três primeiros ends, a equipe fez 3 a 0 no placar e administrou a vantagem até o fim do jogo. 

Com 12 vitórias em 12 partidas, o time de Brad Gushue não foi ameaçado em nenhum momento na competição. As vitórias mais apertadas foram de dois pontos de diferença para Suíça (7 a 5) e Suécia (8 a 6) na primeira fase. Campeão do Brier, o campeonato nacional masculino do Canadá, a equipe realmente vive grande fase nesta temporada. 

Neste sábado, às 22h (horário de Brasília), a Suécia volta ao rink de gelo para enfrentar o vencedor do confronto entre Estados Unidos e Suíça e decidir a segunda vaga à decisão. Suíços e norte-americanos realizaram a mesma campanha na primeira fase, com oito vitórias e três derrotas, e jogam às 17h para definir quem segue na luta pelo título mundial. 

Classificação olímpica definida

O fim da primeira fase do Mundial masculino de Curling determinou oito países classificados para os Jogos Olímpicos de Inverno em PyeongChang, na Coreia do Sul. Além dos sul-coreanos, anfitriões, garantiram a vaga o Canadá, o Reino Unido (representado pela Escócia), o Japão, a Noruega, a Suécia, a Suíça e os Estados Unidos. As últimas duas vagas serão definidas em um torneio classificatório entre 5 e 10 de dezembro em Pilsen, na República Tcheca. Além da seleção tcheca, sete países podem participar do torneio: Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Itália, China, Holanda e Rússia. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.