Canadá e Rússia duelam por vaga na final do Mundial feminino de Curling

Anna Sidorova busca sua primeira final (Alina Pavlyuchik/WCF)

Acabou nesta quinta-feira, 23 de março, a primeira fase do Mundial feminino de Curling de 2017. As doze seleções presentes na competição fizeram onze partidas e apenas as quatro melhores seguem com chance de conquistar o título. O torneio acontece em Pequim, na China, e vai terminar no domingo, 26 de março.

O Canadá, líder da primeira fase, e a Rússia, segunda colocada, se enfrentam nesta sexta-feira na primeira partida semifinal. Quem levar a melhor no confronto garante vaga na decisão. Quem perder enfrenta o vencedor da partida entre Suécia e Escócia, que fazem a segunda semifinal no sábado. 

As canadenses, comandadas pela skip Rachel Homan, estão dispostas a encerrar o tabu de oito anos sem título no Mundial feminino de Curling. Na primeira fase, o país venceu nada menos do que os onze jogos disputados. Bronze em 2013 e prata em 2014, o time "Homan" busca seu primeiro troféu.

Já a Rússia de Anna Sidorova espera dar um passo a mais em sua trajetória de evolução nas últimas temporadas. A equipe, consolidada no cenário internacional, conquistou o bronze nas últimas três edições do Mundial e almeja chegar em sua primeira final. Na fase inicial, as russas tiveram três derrotas: 10 a 9 para o Canadá no end extra, 10 a 7 para Escócia e 12 a 7 para a Suíça.

A Suécia, campeã pela última vez em 2011, também teve oito vitórias e três derrotas na primeira fase, mas ficou na terceira posição por conta do confronto direto. As escocesas, campeãs em 2013, ficaram na quarta posição com sete vitórias e quatro derrotas. Os Estados Unidos, da equipe Nina Roth (que enfrentou as brasileiras no America's Challenge) terminaram na quinta posição com seis triunfos e cinco tropeços. A classificação final da primeira fase pode ser visto aqui

Atuais tricampeãs do Mundial feminino de Curling, a Suíça decepcionou nesta temporada. Após começar bem a primeira fase da competição, o país perdeu seis das onze partidas e terminou em uma modesta oitava posição. A China, dona da casa neste ano e campeã em 2009, também frustrou seus torcedores: foi apenas a 11ª colocada, com duas vitórias e nove derrotas, à frente apenas da Dinamarca. 

A partida semifinal entre Canadá e Rússia acontece na manhã desta sexta-feira. No sábado, são duas partidas: primeiro acontece a partida entre Suécia e Escócia. Depois, o vencedor enfrenta quem perder no duelo entre canadenses e russas. A final e a disputa pelo bronze acontecem no domingo. 

Classificação olímpica definida

Independentemente de quem avançar para a final e conquistar o título Mundial feminino de Curling, as oito vagas da modalidade nos Jogos Olímpicos de Inverno já foram preenchidas com o encerramento da primeira fase da competição em Pequim, na China. 

Canadá, Reino Unido (com a seleção escocesa), Japão, Coreia do Sul (país anfitrião), Rússia, Suécia e Estados Unidos já carimbaram o passaporte para PyeongChang. A classificação olímpica no curling leva em conta a disputa dos Mundiais de 2015, 2016 e 2017 para definir os classificados. 

China, República Tcheca, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Itália, Letônia e Noruega também estão elegíveis para a repescagem olímpica, que acontece em Pilsen, na República Tcheca, entre 5 e 10 e dezembro. Eles irão duelar pelas últimas duas vagas na repescagem. 

Confira os melhores momentos da vitória russa na última partida da primeira fase: 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.