Favoritos começam bem a disputa do Mundial de Biatlo

Martin Fourcade já conquistou um ouro no Mundial (Divulgação/IBU)

Após um início quente, o Mundial de Biatlo retornou à modalidade nas quatro provas realizadas até o momento. Os principais nomes do esporte já conquistaram suas primeiras medalhas. A competição, que começou na última quinta-feira, 9 de fevereiro, vai terminar no domingo, 19, e acontece em Hochfilzen, na Áustria. 

Apenas uma surpresa até o momento: no sprint 10km masculino o alemão Benedikt Doll, que jamais venceu uma disputa individual na Copa do Mundo, foi o campeão com 23min27seg4 e nenhum tiro desperdiçado. O norueguês Johannes Boe ficou com a prata e o francês Martin Fourcade completou o pódio. 

Já na disputa de perseguição 12,5km, Martin Fourcade retomou a boa fase e conquistou o título da prova ao completar o percurso em 30min16seg9 e um tiro errado. Boe novamente ficou com a prata e o também norueguês Ole Bjoerndalen, 43 anos, oito medalhas de ouro em Jogos Olímpicos, completou o pódio e conquistou sua 45ª medalha no Mundial de Biatlo!

No feminino as favoritas também não decepcionaram. Gabriela Koukalova foi a campeã no sprint 7,5km com 19min12seg6 e nenhum tiro desperdiçado - Laura Dahlmeier, da Alemanha, foi a segunda colocada, e a francesa Anais Chevalier foi a terceira. Na prova de perseguição 10km, Dahlmeier foi a campeã com 28min02seg3 e um tiro ruim. A bielorrussa Darya Domracheva, de volta após licença-maternidade, conquistou a prata e Koukalova foi bronze. 

Agora, os atletas aproveitam uma pausa de dois dias para descansarem e ajustarem seus planejamentos. O Mundial de Biatlo prossegue no dia 15 de fevereiro com a prova individual feminina de 15km e termina no domingo, 19, com as largadas coletivas para homens e mulheres. 

Confusão

Entretanto, nem tudo são flores no Mundial de Biatlo. Logo após o pódio do revezamento misto, no primeiro dia de disputa, o francês Martin Fourcade abandonou a cerimônia no momento de premiação da equipe russa, causando um desconforto diplomático. O protesto vai ao encontro do Relatório McLaren, que acusa os atletas da Rússia de participarem de um complexo sistema de doping.

Não bastasse isso, franceses e russos também se estranharam na corrida, trocando empurrões na última transição do revezamento e a briga prosseguiu para as redes sociais, com troca de insultos no Twitter e Instagram. No dia seguinte, a IBU tratou de publicar uma reconciliação entre Fourcade e o russo Anton Shipulin, mas resta saber se os ânimos realmente esfriaram ou a atitude foi mero protocolo. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.