Norte-americanas são tricampeãs do Mundial Juvenil de Hóquei feminino

Estados Unidos (branco) conquistam o título mundial (Andrea Cardin/HHOF-IIHF Images)

As canadenses bem que tentaram. Lideraram a fase de grupos e chegaram invictas à decisão do Mundial Juvenil feminino de hóquei no gelo, disputado na República Tcheca. Mas na hora da decisão foram as norte-americanas que comemoraram. A seleção dos Estados Unidos conquistou neste sábado, 14 de janeiro, o título desta temporada e enfileira um tricampeonato na competição. 

Na partida decisiva elas derrotaram o Canadá por 3 a 1. Delaney Drake abriu o placar para as norte-americanas no segundo período. Daryl Watts chegou a empatar no início do terceiro período, mas Grace Zumwinkle e Emily Oden (aproveitando o gol vazio), garantiram o título dos Estados Unidos. A Rússia derrotou a Suécia por 2 a 0 e ficou com a medalha de bronze. O Japão, por sua vez, perdeu a repescagem para a Suíça e foi rebaixado.

Neste ano, tudo levava a crer que as canadenses voltariam a conquistar o título do Mundial Juvenil feminino de Hóquei no Gelo. Na primeira fase, com as quatro melhores equipes do ranking, elas venceram a Suécia por 5 a 1, a Rússia por 4 a 2 e as próprias norte-americanas por 1 a 0 na prorrogação. Na prorrogação, um novo passeio sobre as suecas por 6 a 2.

Mas os Estados Unidos se ancoraram no forte sistema defensivo para vencer na final. A equipe tomou apenas três gols nas cinco partidas realizadas - de longe a defesa menos vazada do Mundial. Além disso, o ataque também não fez feio, marcando 19 gols, dois a mais do que as canadenses (não à toa que a vantagem na decisão!). 

Não resta dúvidas de que essas adolescentes (todas com menos de 18 anos) irão integrar a equipe adulta dos Estados Unidos nos próximos anos. O objetivo, claro, é levar esse domínio internacional para a disputa adulta no hóquei no gelo feminino. 

Divisões inferiores

Na próxima temporada, a Alemanha entrará no lugar do Japão no Mundial Juvenil de Hóquei no Gelo feminino. As alemãs conquistaram o título do Grupo A da Divisão 1, realizado em Budapeste, na Hungria, entre 8 e 14 de janeiro. Com quatro vitórias e uma derrota, elas terminaram empatadas com a Eslováquia na primeira posição, mas levaram vantagem no saldo de gols (13 a 11) para confirmar o título e o acesso. 

A França, por sua vez, perdeu todas as suas partidas e jogará o Grupo B da Divisão 1 em 2018. Em seu lugar entrará a seleção italiana, que conquistou o acesso desta série nesta temporada. A Itália venceu nada menos do que os cinco jogos do torneio realizado em Katowice, na Polônia, e confirmou o acesso. O Cazaquistão, que perdeu todos os jogos, caiu para a fase classificatória. 

Supremacia da América do Norte

O título dos Estados Unidos amplia a vantagem do país sobre o Canadá no número de troféus do Mundial Juvenil feminino de hóquei no gelo. Com dez edições realizadas, agora as norte-americanas têm seis conquistas, contra quatro das rivais continentais. Os dois países fizeram nada menos do que todas as finais da competição. 

Mais do que isso. Como pontuou o twitter Os Olímpicos, um dos mais importantes sobre Jogos Olímpicos no Brasil, se levarmos em consideração a disputa do hóquei no gelo feminino nos Jogos Olímpicos, Mundiais Adulto e Juvenil, já foram realizadas 32 finais e apenas uma delas não foi decidida entre EUA e Canadá (nos Jogos Olímpicos de 2006, em Turim, as suecas surpreenderam as norte-americanas e enfrentaram as canadenses na decisão). O número reforça, sem dúvida, o domínio que os dois países têm no esporte atualmente. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.