Brasileiro de Esqui Alpino comprova boa fase de Michel e Guilherme

Guilherme Grahn e Michel Macedo (Divulgação/CBDN)

Michel Macedo e Guilherme Grahn provaram mais uma vez porque são os dois melhores esquiadores do Brasil na atualidade. Ambos travaram um duelo ponto a ponto no Campeonato Brasileiro de Esqui Alpino desta temporada, realizado em Valle Nevado, no Chile, entre os dias 24 e 26 de agosto. O evento também foi válido para a Copa Sul-americano da modalidade. 

Michel levou a melhor no Slalom Gigante e Super G, suas especialidades, enquanto que Guilherme foi o mais rápido no slalom, a categoria mais técnica do esqui alpino. Nathan Alborghetti, presente na edição passada, não participou da competição neste ano - certamente elevaria ainda mais o nível apresentado. 

Isso porque na primeira prova do Brasileiro de Esqui Alpino já tivemos uma quebra de recorde nacional. Com 2min00seg76 e 37.30 pontos FIS, Michel Macedo conquistou o tricampeonato nacional no slalom gigante. De quebra, o jovem ainda conquistou o bronze sul-americano. A disputa foi apertada, pois Guilherme chegou 15 centésimos atrás e estabeleceu sua melhor marca pessoal na disputa. 

No slalom, por sua vez, aconteceu a revanche. Guilherme Grahn fez 1min25seg95, obteve 41.38 pontos FIS e ficou com o nono melhor tempo geral - medalha de prata na disputa sul-americana e bicampeonato nacional na categoria. Michel também teve um bom desempenho, com 1min26seg70 e 47.90 pontos. 

Por fim, no Super G, Michel Macedo conquistou o título nacional com o tempo de 1min16seg35 e 77.05 pontos FIS - o quinto melhor desempenho sul-americano. Guilherme, especialista apenas em provas técnicas (slalom e slalom gigante) não largou para esta disputa. 

"Tivemos três provas espetaculares com a participação de 26 nações, com destaque para a participação brasileira, incluindo uma quebra de recorde nacional. Me chamou a atenção a saudável disputa entre o Michel e o Guilherme, assim como o nível que atingiram, prometendo um futuro brilhante", comemorou Stefano Arnhold, presidente da CBDN. 

Disputa feminina

Entre as mulheres, as atletas sul-americanas deram um show. A argentina Salomé Bancora foi a campeã geral no slalom gigante, com 2min01seg87 e 22.75 pontos FIS. Francesca Farriol, sua compatriota, foi a mais rápida no slalom, com 1min31seg78 e 25.75 pontos FIS. Já a chilena Noelle Barahona foi a campeã geral no Super G, com 1min15seg01 e 30.29 pontos. 

Pelo terceiro ano consecutivo o Brasil não teve representante feminina na disputa da competição continental de esqui alpino. Maya Harrisson se aposentou após o Mundial de 2015 e Chiara Marano se afastou nas últimas duas temporadas para concluir o ensino superior. A expectativa é pela estreia de Esmeralda Alborghetti na temporada do hemisfério norte, a partir de novembro. Recuperada de duas cirurgias no joelho, ela deve ser a única atleta brasileira na modalidade. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.