Com novidades, Amanda Kalluf compete na patinação artística

Amanda Kalluf no Chesapeake Open (Arquivo Pessoal)
Enquanto Giulia Flemming desafiava as dores no Broadmoor Open de patinação artística no gelo na última semana, Amanda Kalluf, a caçula da equipe brasileira, competia no Chesapeake Open. O evento aconteceu em Baltimore, na costa leste dos Estados Unidos, entre os dias 22 e 25 de junho. 

Infelizmente o resultado ainda não foi divulgado pela organização da competição. Contudo, o desempenho é a menor das preocupações da jovem atleta do país - até porque ela saiu do evento repleta de novidades e com ótimos planos para o futuro de sua carreira esportiva. 

A primeira delas acontece já nesta semana. Amanda irá participar de uma clínica na mesma arena de Isadora Williams, estrela da patinação artística do Brasil, e será supervisionada pelos mesmos treinadores. O objetivo do intercâmbio, claro, é incrementar os saltos e a apresentação da adolescente para os próximos meses. 

Ela ainda compete na categoria novice nesta temporada, mas já está treinando os saltos triplos para atingir o nível júnior no próximo ano. Agora, a meta é participar de mais algumas provas no calendário norte-americano e, no próximo semestre, competir em torneios da ISU - cujos elementos exigidos são totalmente diferentes. 

Após competir no Chesapeake Open, a brasileira já se inscreveu em duas competições nos Estados Unidos. Em agosto, entre os dias 10 e 13, ela participa do Hershey Open de patinação artística. Depois, em setembro, vai competir no Campeonato Anual do Meio Atlântico. 

Presença no Rio-2016?

A brasileirinha Amanda Kalluf recebeu um convite do governo sul-coreano para participar de algumas atividades durante os Jogos Olímpicos de Verão no Rio de Janeiro. A CBDG já autorizou e está a par do assunto; resta apenas algumas informações para confirmar a presença dela em solo brasileiro no mês de agosto. Como se sabe, a Coreia do Sul receberá a bandeira olímpica após os Jogos no Rio e sediará a próxima edição de inverno, em 2018. Assim, faz todo o sentido contar com uma das promessas brasileiras nos esportes de gelo e que encantou os asiáticos com uma medalha de ouro no Dream Program, em janeiro. 

Amanda Kalluf (Arquivo Pessoal)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.