Delator russo dá mais detalhes sobre escândalo de doping em Sochi

Cerimônia de encerramento dos Jogos de Sochi (Divulgação)

Um dia após a WADA confirmar a investigação das denúncias de doping na equipe russa que disputou os Jogos Olímpicos de Sochi, o jornal New York Times soltou uma verdadeira bomba. Quinze medalhistas russos estariam envolvidos no escândalo, incluindo dois atletas da equipe de bobsled (que conquistou dois ouros) e 14 atletas do esqui cross-country - a modalidade conquistou cinco medalhas.

Os nomes não foram revelados por se tratar de uma acusação que ainda será investigada. Contudo, joga mais uma mancha na reputação russa às vésperas dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. Vale lembrar que a equipe de atletismo está suspensa justamente por casos encobertos de doping em competições passadas.

Ainda de acordo com o jornal norte-americano, Grigory Rodchenkov, que cuidava do laboratório antidoping russo, desenvolveu um coquetel com três substâncias proibidas e mistura em bebidas alcoólicas que eram distribuídas aos atletas. Depois, à noite, membros do serviço de inteligência da Rússia trocavam as amostras de urina contaminadas por soluções limpas, colhidas meses antes. Mais de 100 amostras teriam sido trocadas e nenhum atleta russo foi pego no exame antidoping. 

Como país-sede dos Jogos Olímpicos de Sochi, a Rússia naturalmente encarava uma pressão a mais por vitórias. Durante o evento poliesportivo, a delegação russa conquistou nada menos do que 13 medalhas de ouro e 33 no total, um número muito acima do registrado em 2010 - na ocasião foram 15 medalhas somadas!

A investigação na WADA prossegue e pode ter consequências graves para a Rússia. Se as denúncias forem confirmadas, o país pode até ser excluído das próximas edições dos Jogos Olímpicos. 


O outro lado

Como era de se esperar, o governo russo e os atletas das duas modalidades citadas reagiram à denúncia de Rodchenkov ao jornal New York Times. Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlim, simplesmente afirmou que "isso não parece outra coisa do que calúnias de um desertor". 

Alexander Legkov, dono do único ouro da Rússia no esqui cross-country, também foi duro. "Eu acho um completo absurdo. Álcool misturado com esteroides chega a ser ridículo", disparou. Já Alexandr Zubkov, integrante da equipe de bobsled que conquistou dois ouros em Sochi, também repercutiu: "essas acusações são impossíveis de provar". 

A Rússia está no direito dela de se defender das acusações enquanto elas ainda não forem provadas. Em todo o caso, o processo na WADA já está aberta e a agência cogita, inclusive, fazer novos testes com os exames de Sochi. Se for comprovado o esquema fraudulento, o país sofrerá sanções pesadas. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.