Escândalo de doping na Rússia chega aos esportes de inverno

Pavel Kulizhnikov testou positivo para meldonium (Divulgação)

Na segunda-feira, dia 7 de março, a tenista russa Maria Sharapova sacudiu o mundo esportivo ao confessar ter sido pega no exame antidoping para a substância meldonium, proibida desde 1º de janeiro deste ano. Porém, o que poucos comentaram aqui no Brasil, é que dois atletas renomados da Rússia nos esportes de inverno também integram esta lista. 

Pavel Kulizhnikov, cinco vezes campeão mundial e um dos principais patinadores de velocidade da atualidade, e Semen Elistratov, campeão olímpico na patinação de pista curta, testaram positivo para a mesma substância ilícita, de acordo com a agência russa R-Sport. 

Ambos aumentam a lista de escândalos que o Comitê Olímpico Internacional, o comitê russo e a Wada, agência mundial antidopagem, precisam enfrentar. No ano passado já houve várias denúncias sobre a equipe de atletismo do país europeu - colocando em xeque a participação de vários atletas renomados nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. 

Agora, ao atingir dois esportistas de ponta nos esportes de gelo, surge uma sombra sobre o próprio desempenho da Rússia na última edição dos Jogos, realizada em Sochi, em 2014. O país foi o campeão no quadro de medalhas graças a desempenhos surpreendentes em algumas modalidades, como a patinação de pista curta. 

Além disso, contra Kulizhnikov ainda há um agravante. Em 2012, quando estava no auge nas disputas júnior e era apontado como favorito à medalha em Sochi, foi suspenso por dois anos por testar positivo para dimetilamilamina. Assim, ele é reincidente e pode pegar outra pena severa. 

Os dois casos ainda estão no início e, espera-se, que seja feita uma investigação severa - até para descobrir se existem outros competidores que usaram meldonium. Entretanto, é triste ver atletas campeões e reconhecidos como os melhores do mundo em suas modalidades terem que conviver com esta mancha em seus currículos. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.