Chloe Dufour-Lapointe conquista Copa do Mundo de Esqui Livre Moguls

Atletas de Moguls se despedem da temporada (FIS/Buchholz)

Em mais um duelo entre o clã Dufour-Lapointe no esqui livre moguls, a irmã do meio, Chloe, levou a melhor nesta temporada. Mesmo sem subir ao pódio na última etapa da Copa do Mundo, ela conquistou o globo de cristal da competição ao ficar à frente de sua irmã mais nova, Justine. A prova foi realizada no sábado, dia 5, em Moscou.

Chloe Dufour-Lapointe ficou apenas na sétima posição da última prova e chegou aos 494 pontos. Entretanto, Justine foi a 12ª e terminou a temporada com 471 pontos. A francesa Perrine Laffont, que venceu a etapa de Moscou, foi a terceira com 414 - Andi Naude, do Canadá, e Hedvig Wessel, da Noruega, terminaram a corrida derradeira com prata e bronze, respectivamente. 

Chloe e Justine, ao lado de Maxime (a mais velha das irmãs Dufour-Lapointe) polarizaram as competições de moguls nos últimos cinco anos. Chloe, por exemplo, foi campeã mundial em 2013, enquanto que Justine ganhou um ouro e uma prata no Mundial de 2015. Nos Jogos Olímpicos de Sochi, a mais nova ficou com o título, enquanto que a irmã do meio levou a prata.

Porém, em Copas do Mundo de esqui livre moguls, esta foi a primeira vez que uma Dufour-Lapointe consegue o globo de cristal da FIS. De 2011 a 2015, a norte-americana Hannah Kearney conquistou um pentacampeonato da competição, impedindo um domínio maior das canadenses - tanto que Justine ficou com o vice-campeonato nas últimas cinco edições!

"Eu consegui alcançar o objetivo que tinha quando começou a temporada e eu fui consistente ao longo do ano. É isso que você precisa fazer para conquistar o globo de cristal e estou muito orgulhosa de mim mesma", comemorou Chloe. 

Entre os homens, Mikael Kingsbury, que já havia conquistado o pentacampeonato da Copa do Mundo de Moguls por antecipação, se despediu em grande estilo ao vencer a prova russa. Na bateria decisiva, ele derrotou o francês Benjamin Cavet - o também canadense Phillipe Marquis completou o pódio. Na classificação final do ranking, Kingsbury terminou com 705 pontos, muito acima dos 378 conquistados pelo australiano Matt Graham. 

"Era o meu principal objetivo da temporada. Realmente foi um grande ano e só fiquei fora do pódio uma vez. Estou feliz de ter conquistado mais da metade das etapas da Copa do Mundo desta temporada. Foi uma competição mais curta, então realmente era necessário manter essa regularidade. Estou ansioso para o Mundial do próximo ano e os Jogos Olímpicos em 2018", comentou Kingsbury. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.