Contas atualizadas para os Jogos da Juventude de Inverno

Brasil enviará delegação recorde para Lillehammer (Reprodução)

Você viu aqui, na semana passada, que o Brasil o Brasil confirmou duas vagas do skeleton para os Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno (poderiam ser três se Savannah Fracasso não tivesse se machucado) e está perto de confirmar mais duas vagas para o monobob. Dessa forma, é hora de atualizar as contas e ver o tamanho da delegação brasileira para a segunda edição do evento, em fevereiro de 2016, na cidade de Lillehammer, na Noruega: 

Skeleton

A modalidade já fechou seu pré-olímpico na semana passada. Foram três etapas, com duas corridas em cada, sendo que obrigatoriamente o atleta deveria competir na última, justamente em Lillehammer. Os 20 melhores atletas de ambos os gêneros nos rankings garantiam presença nos Jogos da Juventude de Inverno. 

Laura Nascimento nem precisou contar com realocações e foi a 14ª colocada, confirmando a presença inédita para o Brasil. Savannah, mesmo não participando das últimas duas descidas, ficou a 19ª colocação e teria direito a uma vaga se tivesse competido em pelo menos uma das provas. Entre os homens, Robert Barbosa ficou na 23ª colocação, mas certamente contará com realocações para confirmar presença. 

Monobob

A modalidade ainda terá uma última etapa, no primeiro fim de semana de 2016, mas os dois atletas brasileiros já estão classificados. No total, 32 atletas (16 homens e 16 mulheres) participarão dos Jogos da Juventude. 

Tanto Marley Linhares quanto Jéssica Victória estão na quarta posição em seus respectivos rankings, já com uma larga vantagem sobre o décimo-sexto colocado - que ficaria com a última vaga. Aliás, o objetivo agora é aprimorar o treinamento dos dois jovens, pois eles podem surpreender e até conquistar uma inédita medalha olímpica de inverno para o Brasil. 

Curling

A modalidade distribuiu uma vaga para a América do Sul e, como o Brasil é o único país do continente que trabalha o curling, ficou com a vaga mesmo sem ter participado de provas júnior na última temporada. 

O maior desafio foi encontrar duas garotas e dois rapazes para montar a equipe a tempo de treinar e entrosar antes dos Jogos da Juventude de Inverno. A estreia do time brasileiro já tem até data: será no dia 12 de fevereiro, contra a República Tcheca, no Grupo B. 

Cross-Country

O bom desempenho da garotada proveniente do projeto Ski na Rua ajudou o Brasil a garantir uma cota na modalidade para os Jogos da Juventude de Inverno. Mesmo com quatro atletas elegíveis para a disputa, o país deve enviar Altair Firmino ou Lucas Martins, donos dos melhores resultados do país nesta faixa etária. 

Esqui Alpino

Os excelentes resultados de Guilherme Grahn, até a temporada passada, e Michel Macedo também proporcionaram uma vaga para o país no esqui alpino. Entretanto, na última atualização da FIS, consta que o Brasil abriu mão de sua vaga para realocações. É estranho, sem dúvida, e vou apurar melhor, mas é bom lembrarmos que Nathan Alborghetti, que seria o dono desta posição, sofreu uma lesão nas costas no último mês. 

Snowboard

Com Lucas Alves, o Brasil torce por realocações para conquistar uma vaga na disciplina cross - a mesma de Isabel Clark. Na última atualização da FIS, o Brasil é o primeiro da lista e há justamente uma posição vaga, o que garantiria a classificação do jovem. Entretanto, como o período pré-olímpico termina no dia 10 de janeiro, essa situação pode mudar. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.