Curling do Brasil conhece rivais nos Jogos da Juventude

Treino da equipe juvenil feminina (Reprodução/Facebook)

Enquanto os jovens brasileiros da equipe de Curling seguem treinando no Canadá em busca de entrosamento, o país já conheceu os rivais e a data provisória de estreia na modalidade dos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno. O evento acontece em fevereiro de 2016, na cidade norueguesa de Lillehammer. 

De acordo com o site oficial da Federação Mundial de Curling, o Brasil está no Grupo B, ao lado de Canadá, República Tcheca, Estônia, Reino Unido, Coreia do Sul, Noruega e Suécia. A estreia está marcada para o dia 12 de fevereiro, contra os tchecos. Depois, são mais dois jogos por dia até 15 de fevereiro, quando acaba a primeira fase. 

O calendário completo pode ser conferido aqui e os atletas ainda formarão duplas mistas tanto no gênero quanto na nacionalidade para outra disputa na sequência da competição. 

O time brasileiro conseguiu a vaga como representante da América do Sul - o continente finalmente conseguiu um lugar direto em um torneio de alto nível no curling. Dessa forma, bastou à CBDG treinar e preparar uma equipe com dois homens e duas mulheres para encarar este desafio. 

Faltam menos de três meses para os Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno. Além da vaga já garantida no Curling, o Brasil deve garantir mais duas vagas no monobob (com Marley Linhares e Jessica Victória), outros três competidores nas modalidades de neve e ainda luta por classificações no skeleton. 

Reconhecimento

Por falar em jovens, o Comitê Olímpico Brasileiro fez uma importante matéria sobre Marley Linhares e Rafael Souza, o time de bobsled mais jovem do país e que estreou na primeira etapa da Copa América da modalidade nesta temporada. 

Mesmo sem experiência, eles conseguiram completar as provas à frente de outras duplas, enchendo de otimismo os dirigentes para o futuro. "Nós superamos muitos trenós na competição. Se formos considerar que o Marley e o Rafael, com uma idade e peso bem abaixo do restante dos países, conseguiram competir e até superar algumas equipes, chegamos à conclusão de que temos um tesouro nas mãos", comentou Emílio Strapasson, presidente da CBDG, ao site do COB. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.