Brasil participa do Congresso Anual de Curling

Isis, Emílio e Marcelo durante o Congresso (Reprodução/Facebook)

O presidente da CBDG, Emílio Strapasson, o responsável técnico Marcelo Mello e a atleta Isis Oliveira estiveram presentes na quarta edição do Congresso Anual da Federação Mundial de Curling. O evento terminou neste sábado, em Belgrado, na Sérvia, e contou com resoluções importantes para a modalidade de gelo. 

O objetivo do encontro é adotar diretrizes que estimulem ainda mais o crescimento do esporte no planeta. Para 2018, por exemplo, houve a inclusão da disputa de duplas mistas pela primeira vez no programa olímpico de inverno. "Com as decisões que foram tomadas hoje, eu tenho certeza que o curling continuará crescendo em todo o mundo", comentou Kate Caithness, presidente da federação internacional.

No caso brasileiro, o principal foco girava em torno justamente das duplas mistas. Como o leitor do Brasil Zero Grau já sabe, o país teve papel importante nos bastidores para a entrada desta nova categoria nas próximas Olimpíadas de Inverno. Entretanto, não foi desta vez que saiu a definição da classificação olímpica para a disputa - o sonho do Brasil é ter uma vaga exclusiva para a América do Sul. 

Entretanto, três resoluções já foram tomadas para os jogos de duplas mistas, em uma tentativa de deixar a disputa mais atraente. Confira: 

1) Agora, os dois atletas podem varrer um lançamento, criando melhores jogadas. Até este momento, um dos integrantes deveria ficar atrás do alvo. 

2) A pedra inicial, que deve possuir uma posição pré-estabelecida, não deve ser colocada na parte de trás do botão, mas sim atrás do círculo que cerca a casa (a faixa da cor vermelha). 

3) Agora, há a opção "PowerPlay". O time que tiver o martelo no end pode deixar sua pedra inicial entre os anéis branco e azul, com a extremidade traseira tocando a teeline e deixando a rocha metade na parte branca, metade na parte azul. 

Além das resoluções, o encontro foi uma ótima oportunidade para os dirigentes da CBDG aprofundarem o relacionamento com outros países para, no futuro, encontrar parceiros e patrocinadores.

Agora, Marcelo Mello e Isis Oliveira embarca, para Berna, na Suíça, onde serão os líderes da seleção brasileira no primeiro Mundial Misto de Curling. Neste domingo, dia 6, eles encontrarão Luciana Barrella e Sergio Vilela para a última etapa de preparação da equipe antes da competição. São cinco dias para os quatro atletas se entrosarem e treinarem. No dia 12 de setembro, o Brasil estreia contra a forte seleção escocesa. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.