Brasil inicia disputa do Mundial Misto de Curling

Marcelo, Luciana, Sergio e Isis (Reprodução/Site oficial)

Neste sábado, dia 12 de setembro, mais precisamente às 15h30 no horário de Brasília, a seleção brasileira de curling dá mais um importante passo para entrar de vez no cenário internacional da modalidade. O país faz sua estreia na primeira edição do Mundial Misto de Curling, realizado em Berna, na Suíça. 

O primeiro jogo, aliás, já é uma pedreira: nada mais, nada menos do que a Escócia, país que regulamentou o esporte e que é potência até hoje. Nos próximos dias serão mais sete partidas válidas pela primeira fase da competição. O Brasil está no Grupo C e, além dos escoceses, enfrenta a Hungria, Áustria, Bielorrússia, Turquia, Estônia, Japão e Estados Unidos.

O Mundial Misto de Curling é mais uma iniciativa da federação internacional para popularizar o esporte. A disputa de duplas mistas, por exemplo, recentemente conseguiu entrar no programa olímpico nos Jogos de Pyeongchang-2018. O torneio substitui o Campeonato Europeu por ter a inclusão de seleções da América e da Ásia. 

Entre os participantes, está o Brasil. A CBDG retomou o desenvolvimento do curling nacional a partir de 2013 e já conseguiu enviar representantes nos dois últimos Mundiais de Duplas Mistas e ainda retomou o desafio continental contra os Estados Unidos. Agora, com o time misto, o país participa pela primeira vez de um torneio internacional por equipes. 

A liderança continua com Marcelo Mello, skip do Brasil nas provas de Duplas Mistas e responsável técnico da CBDG no esporte. Ao lado dele está Sergio Vilela, brasileiro que mora na Suíça e também esteve presente na série de jogos contra os norte-americanos na temporada passada. 

As mulheres Isis Oliveira e Luciana Barrella, titulares da seleção feminina e que moram em Vancouver, completam o elenco brasileiro. A coordenação técnica, desta vez, fica com Jean Pierre Ruetsche, ex-coordenador técnico da equipe italiana. 

"Acredito que será uma experiência ótima para nós, atletas. Teremos a possibilidade de fazer partidas com jogadores de alto nível, o que só agregará ao nosso processo de aprendizado", comenta Luciana Barrella ao site da CBDG. 

É difícil fazer um prognóstico sobre o desempenho e a expectativa brasileira. Os quatro atletas jamais jogaram juntos e certamente o entrosamento será um problema nos primeiros jogos. Para compensar essa questão, o time está desde o dia 6 em Berna, na Suíça, para intensificar os treinamentos. O mais importante para o Brasil, portanto, é continuar o aprendizado e desenvolvimento no esporte. 

Regulamento

A disputa de equipe mista não tem segredo: segue as mesmas regras da prova olímpica, com cada atleta lançando duas pedras e, no final de cada end, marca ponto a equipe que deixar a pedra mais próxima do botão. Após dez ends, quem tiver mais pontos vence a partida. 

São quatro grupos com nove equipes cada. Os campeões de cada chave avançam diretamente para as quartas de final. Os segundos e terceiros colocados se enfrentam em uma partida eliminatória, com o segundo do "A" pegando o terceiro do "B" e o segundo do "C" contra o terceiro do "D", e vice-versa. 

Os vencedores dessas quatro partidas também carimbam passagem para as quartas. A partir daí, fase mata-mata em jogo único. Quem vencer avança para a semi e, depois, para a grande decisão. A final deve acontecer no dia 19 de setembro. 

Calendário brasileiro

Anote na agenda as partidas brasileiras de acordo com o horário de Brasília: 

12/9 - 15h30 - Brasil x Escócia
13/9 - 7h00 - Brasil x Hungria
14/9 - 7h00 - Brasil x Áustria
14/9 - 15h00 - Brasil x Bielorrússia
15/9 - 3h00 - Brasil x Turquia
15/9 - 11h00 - Brasil x Estônia
16/9 - 11h00 - Brasil x Japão
17/9 - 11h00 - Brasil x EUA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.