Geração de ouro do esqui alpino nacional encara Brasileiro

Nathan, Fabio, Michel e Guilherme (Divulgação)

"Os garotos são bons". Foi assim, com uma frase simples, mas definitiva, que Stefano Arnhold, presidente da CBDN, se referiu aos jovens da equipe brasileira de esqui alpino na Cerimônia de Encerramento da temporada, em junho. De fato, os feitos conquistados até o momento por Fabio Guglielmini, Michel Macedo, Guilherme Grahn e Nathan Alborghetti justificam esta expectativa. Agora, é hora deles colocarem este talento à prova. 

A partir desta quarta-feira, dia 26, os quatro participam da 30ª edição do Campeonato Brasileiro de Esqui Alpino realizado no resort chileno de Valle Nevado. A competição conta com provas de slalom, slalom gigante e Super G e reunirá atletas da Argentina e Chile. As disputas terminam nesta sexta-feira, dia 28. 

A instabilidade climática, que já atrapalhou a realização do Brasileiro de Snowboard, também promoveu alterações no cronograma do esqui alpino. A primeira prova segue com o slalom nesta quarta-feira, mas a prova de Super G, marcada para a sexta-feira, foi adiantada e ficará na quinta. Dessa forma, o encerramento é com o slalom gigante. 

"A minha condição favorita é de neve bem dura, em que se pode ir bem rápido. Coloquei várias metas nesta temporada, incluindo baixar meus pontos. Aqui na América do Sul terei boas oportunidades de fazer isso", comenta Guilherme Grahn.

O atleta, aliás, consolidou sua posição como principal esquiador brasileiro na atualidade. Com apenas 18 anos, ele já tem o recorde nacional no slalom, com 37.85 pontos FIS, e está entre os 50 melhores do mundo na sua faixa etária nesta categoria. 

Michel Macedo, por sua vez, também coleciona bons resultados na última temporada. O jovem sequer completou 18 anos e já conseguiu a marca de 62.71 pontos no Super G, figurando no top 30 de sua idade nesta modalidade. 

Já Fabio Guglielmini, com 21 anos, é o brasileiro mais experiente da seleção de esqui alpino e tenta recuperar terreno no cenário nacional. Ele sofreu uma lesão grave no joelho em 2013, quando era cotado para participar dos Jogos de Inverno de Sochi, e somente agora consegue repetir as marcas que conquistava antes da lesão, também se aproximando do recorde nacional. 

Por fim, o Campeonato Brasileiro também marca a estreia de Nathan Alborghetti entre os profissionais. O jovem, que mora na Bahia, conquistou medalhas em provas internacionais na categoria infantil e espera manter o bom desempenho no adulto. "Eu encaro com naturalidade. É uma responsabilidade a mais, sem dúvida, mas tento ser natural", comentou o jovem ao Brasil Zero Grau na Cerimônia de Encerramento. 

Aliás, ele já se destaca dos outros competidores brasileiros em pelo menos um quesito: a aptidão pelas provas rápidas. A meta de Nathan é se especializar em provas de Downhill, a mais veloz do esqui alpino e pouco praticada pelos brasileiros. "Sempre foi meu sonho e espero conseguir bons resultados", confessou. 

O Brasil Zero Grau ficará de olho em todos os resultados do Brasileiro de Esqui Alpino, a última competição realizada pela CBDN nesta temporada de inverno na América do Sul. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.