Mulheres dos EUA conquistam Mundial de Hóquei no Gelo

Americanas comemoram um dos gols (François Laplante/HHOH-IIHF Images)

Pode ser no masculino, feminino, adulto ou infantil. Uma decisão do hóquei no gelo entre Canadá e EUA sempre terá um roteiro inimaginável e com final eletrizante. Dessa forma, não chega a surpreender o desfecho que as duas seleções protagonizaram para o Mundial de Hóquei no Gelo feminino desta temporada. 

A competição realizada em Malmö, na Suécia, consagrou a ótima geração norte-americana, dona de cinco dos últimos seis títulos mundiais na categoria, sempre em cima das rivais canadenses. Neste ano, 7 a 5 em uma decisão eletrizante Aliás, em 16 edições do torneio, a final sempre foi entre os dois países norte-americanos, assim como as últimas duas edições dos Jogos Olímpicos de Inverno. 

Com tanta tradição e as jogadoras se conhecendo tão bem (a grande maioria participa da Liga Feminina do Canadá, a mais importante competições de clubes para as mulheres), era de se esperar um duelo equilibrado, definido na estratégia e no detalhe. 

Entretanto, o que se viu no primeiro período foi um massacre norte-americano. Nem parecia que do outro lado estava a seleção campeã olímpica. Logo com três minutos de jogo Anne Pankowski abriu o placar para os EUA. Jogando com inteligência, as jogadoras aproveitaram o nervosismo canadense e abriram vantagem. Hilary Knight fez 2 a 0 aos 6min38 e Megan Keller fez o terceiro aos 11min aproveitando o powerplay das rivais. 

Rebecca Johnston descontou para as canadenses, mas Anne Schleper fez 4 a 1 aos 17min e, quarenta segundos Marie Philip-Poulin fez o segundo gol antes de terminar o primeiro tempo. Faltavam mais quarenta minutos e o placar já estava 4 a 2 para as norte-americanas! 

O massacre parecia se confirmar quando Haley Skarupa fez 5 a 2. Seria um passeio semelhante ao que a Rússia sofreu no dia anterior? Não. Com uma marcação mais agressiva, o Canadá mostrou porque é o país mais tradicional do hóquei no gelo. Em inacreditáveis dois minutos a equipe fez três gols e empatou o jogo! Brigette Lacquette, Rebecca Johnston e Caroline Ouellette recolaram emoção na decisão e deixaram tudo indefinido para o terceiro e último período. 

Mas aí os EUA novamente aproveitaram o nervosismo canadense. Brianna Decker recolocou as norte-americanas em vantagem com um gol aos 11min42 e Kendall Coyne aproveitou mais um powerplay e fez 7 a 5 na decisão. Nem mesmo a tática arriscada de trocar a goleira por uma jogadora de linha funcionou. A seleção norte-americana soube se defender e assegurar o sexto título mundial para o país. 

Não bastasse isso, Hilary Knight foi eleita MVP do campeonato e o país dominou a seleção do campeonato, com três indicações em seis possíveis. Sem dúvida nenhuma esta é uma das gerações mais talentosas dos EUA na história. Mesmo com uma média de idade de 25 anos, esta base conquistou cinco dos últimos seis Mundiais. Resta apenas a medalha de ouro olímpica, que escapou no overtime em Sochi-2014, para a consagração definitiva!

Hilary Knight foi a grande estrela do Mundial (François Laplante/HHOF-IIHF Images)

Finlândia leva bronze

Momentos antes de EUA confirmarem o título, as finlandesas garantiram a medalha de bronze com uma segura vitória de 4 a 1 sobre a Rússia. Rosa Lindsted, Michelle Karvinen, Linda Valimaki e Karolina Rantamaki fizeram os gols do país nórdico, enquanto que Tatyana Burina descontou para as russas na penúltima partida do Mundial de Hóquei no Gelo feminino. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.