EUA atropela e é finalista do Mundial de Hóquei

Time norte-americano comemora (Andre Ringuette/HHOF-IIHF Images)

Não deu nem graça. Uma das favoritas ao título mundial no hóquei no gelo feminino, a seleção dos EUA atropelou a Rússia na semifinal realizada nesta sexta-feira em Malmö, na Suécia. As norte-americanas não tomaram conhecimento e aplicaram uma impiedosa goleada de 13 a 1 - o placar mais elástico da competição.

Foi 4 a 1 no primeiro período, 6 a 0 no segundo e 3 a 0 na última parte do jogo. Brianna Decker foi o nome da partida, com três gols e uma assistência. Outras dez jogadoras completaram o placar: Megan Keller, Monique Lamoureux, Emily Pfalzer, Haley Skapura, Jocelyne Lamoureux, Hannah Brendt, Hilary Knight, Alex Carpenter, Dana Trivigno e Zoe Hickel. 

O mais interessante é que a seleção russa abriu o placar da primeira semifinal com Iya Gavrilova logo aos 44 segundos de jogo e suportou a pressão por dez minutos. Porém, depois apareceu o trator norte-americano para confirmar a vaga na final e o favoritismo no campeonato. 

Na final, velhas conhecidas dos EUA. As canadenses também não tiveram dificuldades para fazer 3 a 0 na Finlândia na segunda semifinal. Natalie Spooner, duas vezes no terceiro período, e Marie Philip-Poulin fizeram os gols da equipe na partida. 

Em 16 edições do Mundial de Hóquei no Gelo feminino, esta é a 16ª vez que as norte-americanas e canadenses realizam a grande decisão. No desempenho histórico até o momento, melhor para o Canadá, que ficou com o título em dez ocasiões. Entretanto, nas últimas cinco edições, os EUA venceram quatro delas. 

A final da edição 2015 acontece neste sábado às 16h no horário sueco, 11h no Brasil. Antes, às 7h por aqui teremos a decisão do bronze entre Finlândia e Rússia. 

Canadense contra goleira finlandesa (Andre Ringuette/HHOF-IIHF Images)

Rebaixamento

Foi sofrido, suado e no overtime novamente, mas as japonesas voltaram a vencer a Alemanha nesta sexta e confirmaram presença na elite do Mundial feminino em 2016. Em contrapartida, as alemãs foram rebaixadas para o Grupo A da Divisão 1. 

O placar de 2 a 1 premiou a garra e a boa campanha da seleção asiática nesta temporada. Mesmo sem qualquer tradição na modalidade, a equipe venceu a Suécia e a Alemanha na primeira fase e só não avançou para os playoffs por uma combinação de resultados. Na luta contra o rebaixamento, voltou a vencer dois jogos duros contra as alemãs. 

Nesta sexta,  a heroína do jogo foi Kanae Aoki, que fez o gol no overtime. Ami Nakamura abriu o placar para o Japão no primeiro período, mas Anna-Maria Fiegert empatou na segunda parte. A vitória também exclui a necessidade da terceira partida, deixando o sábado livre para a decisão do ouro. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.