Voos e recordes no esqui saltos

Anders Fannemel no salto que lhe rendeu o recorde (Divulgação/FIS)

É irresistível não falar o clichê: os atletas de esqui saltos voaram, literalmente, neste último fim de semana. A etapa masculina da Copa do Mundo da modalidade aconteceu em Vikersund, na Noruega, e consistiu nada menos do que uma FH (flying hill), ou simplesmente montanha de voo em português. 

São nada menos do que 225 metros entre a rampa e a base de aterrissagem. O resultado disso é que tivemos dois recordes mundiais quebrados em dois dias. No primeiro, o esloveno Peter Prevc saltou 250 metros e quebrou o recorde de Johan Evensen e que já durava quatro anos. 

Porém, ele pôde comemorar por um dia apenas. Isso porque no dia seguinte o norueguês Anders Fannemel conseguiu um salto de 251.5 metros e estabeleceu a nova marca."Eu achava não ser possível saltar acima de 250 metros. Mas as condições estavam perfeitas para saltos longos e fiz o melhor salto da minha vida", confirmou Anders Fannemel.

Mas entre estabelecer o recorde e conquistar a vitória há uma pequena diferença. Peter Prevc conseguiu o feito e venceu a primeira prova da Copa do Mundo de esqui saltos na Noruega. O esloveno conseguiu 438.8 pontos e ficou à frente de Fannemel, prata com 424.3, e do japonês Noriaki Kasai, bronze com 395.5

No dia seguinte, Fannemel conseguiu o recorde, mas novamente não passou da segunda posição, com 394 pontos (sobretudo por conta do segundo salto ruim). O vencedor foi o alemão Severin Freund, que somou 436.7 ponto - Andre Forfang, da Noruega, completou o pódio. 

Com essas duas provas, a disputa pelo título geral masculino da Copa do Mundo de esqui saltos se acirrou de vez. Prevc segue na liderança, com 1265 pontos. O austríaco Stefan Kraft caiu para a segunda posição, com 1205. Já Severin Freund subiu para terceiro, com 1163. 

Feminino

Entre as mulheres, a disputa da Copa do Mundo de esqui saltos está polarizada entre a austríaca Daniela Iraschko-Stolz e a japonesa Sara Takanashi. Tão polarizada que as duas conseguiram empatar na liderança na segunda prova da etapa disputada na montanha HS 95 em Ljubno, na Eslovênia!

Ambas conquistaram 244.9 pontos e dividiram a primeira posição. A norte-americana Sarah Hendrickson ficou na terceira posição e levou o bronze com 243.8 pontos (quando há empate na liderança não é condecorado a medalha de prata). 

O resultado beneficiou a atleta do Japão, pois no dia anterior ela já havia vencido a primeira prova. Takanashi conseguiu 248.5 pontos, deixando Iraschko-Stolz na segunda posição com 245.4. Sarah Hendrickson mais uma vez completou o pódio.

A diferença na briga pelo título segue mínima. A atleta da Áustria segue na ponta, com 962 pontos. Sara Takanashi é a segunda, com 873 pontos - praticamente uma etapa de distância. A alemã Carina Vogt, campeã olímpica, é a terceira e corre por fora com 622. 

A Copa do Mundo de esqui saltos dá uma parada nas próximas duas semanas para a disputa do Mundial de Esqui Nórdico. As próximas etapas acontecem apenas em março.

Iraschko-Stolz (à esq) e Takanashi (centro) (divulgação/FIS)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.