Novos e velhos campeões mundiais no Luge

 
Time da Alemanha está sofrendo, mas ainda vence (Divulgação/FIL)

Foi-se o tempo em que a Alemanha deitava e rolava nas provas internacionais de Luge. Agora, os atletas do país europeu sofrem para manter a hegemonia mundial. Prova disso é o que aconteceu no Mundial de Luge em pista artificial, realizada no último fim de semana em Sigulda, na Letônia. 

Que o diga o multicampeão Felix Loch. Campeão olímpico e mundial, ele teve que se contentar com a prata nesta temporada. O título ficou para o russo Semen Pavlichenko com 1min36seg288, 71 milésimos à frente do alemão. O austríaco Wolfgang Kindl completou o pódio. 

Nas outras três disputas, a Alemanha sofreu, mas conseguiu triunfar. Natalie Geisenberger conquistou o bicampeonato feminino com 1min24seg142, três décimos à frente da russa Tatiana Ivanova, medalhista de prata. A também alemã Tatjana Hüfner levou o bronze com 1min24seg463. 

Nas duplas, quem esperava uma dobradinha da Alemanha viu outros países subirem ao pódio. Tobias Wendl e Tobias Arlt até conquistaram o ouro com 1min23seg900, mas Toni Eggert e Sascha Benecken, líderes do ranking desta temporada, ficaram apenas na quarta posição. A prata foi da Áustria, com Peter Penz e Georg Fischler. Os italianos Christian Oberstolz e Patrick Gruber ficaram com o bronze. 

Por fim, na disputa por equipe, a Alemanha conseguiu impor sua supremacia e conquistou o último ouro do dia. A equipe, composta por Felix Loch, Natalie Geisenberger e a dupla Tobias Wendl e Tobias Arlt, venceu com 2min13seg152. A Rússia ficou com a prata, 82 milésimos de segundos atrás. O Canadá completou o pódio. 

Após o Mundial, os atletas de Luge retornam para a reta final da Copa do Mundo. A próxima etapa acontece entre os dias 21 e 22 de fevereiro, em Altenberg, na Alemanha.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.