Contra o tempo

Tobias Macedo em ação (Divulgação/CBDN)

O esqui alpino é dividido em duas categorias: as provas clássicas (slalom e slalom gigante), onde o atleta precisa de agilidade para passar pelos gates, e as provas de velocidade (downhill e super G), onde a velocidade é o que conta - nesta última, o competidor chega a 80km/h, um número impressionante, sem dúvida. 

Os atletas brasileiros treinam e competem mais na categoria clássica, conquistando bons resultados nos últimos anos. Entretanto, neste início de semana, o jovem Tobias Macedo resolveu se aventurar em Sugarloaf e competiu em duas descidas de Super G. Mesmo desacostumado, ele conseguiu excelentes resultados. 

Na primeira prova, realizada segunda-feira, o jovem brasileiro foi o 59º dentre os 63 que terminaram a prova. Ele teve o tempo de 1min24seg88 e 160.87 pontos FIS - o norte-americano Kalle Wagner ficou com o ouro ao marcar 1min17seg00 e 50.35 pontos. 

No dia seguinte, Tobias conseguiu melhorar seu desempenho. Ele ficou na 69ª posição com o tempo de 1min21seg77 e 149.58 pontos FIS - no total, 73 atletas completaram a prova e o canadense Patrick Lynott venceu com 1min14seg88 e 50.20 pontos. 

Esta foi a última prova de Tobias antes do Mundial de Esqui Alpino, que já está rolando em Vail Beaver Creek, nos EUA. Ele representa o Brasil ao lado de seu irmão, Michel, e de Maya Harrisson. 

Retorno

Quem participou de provas neste fim de semana foi o jovem Fabio Guglielmini. Recuperado de uma lesão que o deixou mais de um ano afastado, a jovem revelação do esqui nacional esteve presente em uma prova júnior em Pecol di Zoldo. Porém, ele não teve tanta sorte assim. Na primeira prova foi desclassificado na primeira descida, ficando de fora da classificação final. Na segunda, ele sequer largou por problemas pessoais.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.