Lenda

Marcel Hirscher tem motivo para sorrir (Reprodução)

A pista em Sölden, na Áustria, desafiou os atletas. Entre o primeiro e segundo setor, por exemplo, a neve dura fazia com que a maioria perdesse um segundo no tempo, o que desbancava favoritos e zebras. Mas é na adversidade que as lendas do esporte reiteram o seu poder e mostram sua força.

Na manhã deste domingo no horário brasileiro de verão aconteceu mais uma dessas provações. O austríaco Marcel Hirscher mostrou, em sua própria casa, porque é um dos principais esquiadores do planeta nos últimos tempos. Ele venceu, com sobras, o slalom gigante na primeira etapa da Copa do Mundo de esqui alpino. 

O competidor teve o melhor tempo da primeira descida, o terceiro na segunda descida e o tempo combinado de 2min28seg09, 1seg58 acima do segundo colocado, o alemão Fritz Dopfer. O francês Alexis Pinturault completou este primeiro pódio. 

O pódio ficou imprevisível por conta das condições da pista na cidade austríaca. O percurso estava mais complicado do que na disputa feminina, realizada neste sábado. A neve estava dura e a combinação de descida no segundo setor com a parte plana do terceiro fez com que muitos literalmente caíssem na disputa. 

Entre eles, o norte-americano Ted Ligety, vencedor nesta etapa na temporada passada. Ele fez o segundo tempo da primeira descida e era o único que poderia tirar o ouro de Hirscher. Começou bem, mas na última intermediária perdeu muito tempo e ficou apenas na nona posição, bem longe dos primeiros colocados. 

Campeão geral das últimas três Copas do Mundo, Marcel Hirscher começa muito bem a caminhada pelo tetracampeonato. Um dos atletas mais completos do esqui alpino, o austríaco inscreve, etapa após etapa, seu nome na história da modalidade.

Após este início no fim de outubro, as provas das Copas do Mundo de esportes na neve retornam apenas em novembro. No dia 15 e 16, na cidade finlandesa de Levi, temos mais uma etapa do esqui alpino com provas do slalom.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.