Melhor marca da carreira


Hélio com um bastão emprestado na linha de chegada (Arquivo Pessoal)
Gosto do esporte porque, vez ou outra, ele sempre nos mostra que nunca é tarde para superar os limites. Neste domingo, o esquiador brasileiro Hélio Freitas deu uma prova disso. Ele competiu na 28ª edição do Marchablanca, tradicional prova de cross-country em Ushuaia, na Argentina.

O atleta, prestes a completar 45 anos, conquistou o melhor resultado da carreira na prova de 21 quilômetros em estilo clássico. O desempenho foi realmente surpreendente. Ele completou a prova em 1h32min11seg - ao todo, 40 atletas completaram a prova masculina. O vencedor foi o argentino Carlos Lannes, com 1min07seg58. 

O melhor desempenho da vida veio com muitas dificuldades. O próprio Hélio Freitas explica. 

"Poderia ter sido melhor, não fosse a empunhadura do bastão ter descolado no oitavo quilômetro, quando eu estava num pelotão com mais quatro competidores, do quinto ao nono lugar, e me sentindo bem. Com isto, o pelotão se foi e ainda fui ultrapassado por três atletas. Depois de quatro quilômetros esquiando com um bastão e meio, o que me custou uns três ou quatro minutos, consegui um bastão emprestado. Aí deu para recuperar duas posições até o fim", comentou com exclusividade ao Brasil Zero Grau. 

Atleta olímpico em 2006, nos primórdios do cross-country, o brasileiro soube se reinventar na modalidade. Dono de um fôlego invejável (foi atleta amador de triatlo na juventude), se especializou em provas de endurance e agora pratica corridas de longa distância na temporada sul-americana. A ponto de ainda bater as melhores marcas da carreira. Ah, ainda esteve presente na primeira prova no novo formato do triatlo de inverno (no antigo formato a primazia de ser o primeiro atleta nacional é de Aldo Ramos). Não é pouca coisa, convenhamos! Parabéns, Hélio. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.