A hora e a vez da nova geração

Guilherme Grahn (Juliana Pacheco/LeadCommerce/CBDN)
Michel Macedo tem 15 anos. Guilherme Grahn e Francisco Nobre, 16 cada. Tobias Macedo fez 18 e Fabio Guglielmini é o mais velho, com 20. São estes jovens os responsáveis em levar adiante a história do país no esqui alpino. O primeiro teste será neste fim de semana: eles começam a duelar pela soberania brasileira na disputa masculino.

Nos dias 30 e 31 de agosto acontece mais uma edição do Campeonato Nacional da modalidade. As provas de slalom gigante serão em El Colorado, no sábado. No dia seguinte, em La Parva, acontece a prova de slalom. Ambos os resorts ficam no Chile.

A presença de tantos jovens é sintomático pois representa o primeiro torneio sem Jhonatan Longhi. O atleta dominou o esqui alpino nos últimos oito anos, mas quer abrir espaço para a nova geração. Aliás, ele até se colocou à disposição para ser o técnico da rapaziada (relembre aqui). 

Com este vácuo, abre a possibilidade de uma briga sadia para ver quem domina o próximo ciclo olímpico. Aliás, é a primeira vez que a CBDN conta com tantos jovens talentosos no esqui alpino numa mesma geração. O esporte sempre é marcado por domínios individuais. Antes de Jhonatan, havia Nikolai Hentsch, presente nos Jogos Olímpicos de 2002 e 2006. Na década de 90, existia Marcelo Apovian. 

Agora a entidade pode se dar o luxo de colecionar recordes atrás de recordes. Fabio Guglielmini, por exemplo, é dono de uma garra incomum e já possui experiência internacional (além de estar totalmente recuperado de lesão). Guilherme, por sua vez, é o estreante com os melhores desempenhos e o mais próximo de quebrar as marcas de Jhonatan. 

Fabio Guglielmini (Juliana Pacheco/LeadCommerce)
Tobias, o mais velho do clã Macedo, esteve presente nos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno em 2012. Michel, o mais novo, ficou no top 10 na Copa Whistler, uma das principais provas infantis da modalidade. Por fim, Francisco conquistou suas melhores marcas pessoais no início do mês, também no Chile! E olhe que nem falamos de Nathan Alborghetti. Por conta da idade, ele ainda não pode competir na categoria adulta. 

"Com o campeonato brasileiro de esqui alpino deste ano, começamos um novo ciclo olímpico e uma nova fase na modalidade. Os novos nomes disputarão os títulos nacionais e uma possível classificação já em Pyeongchang", comentou Stefano Arnhold, presidente da CBDN.

Os brasileiros já estão no Chile para realizar treinamentos de aclimatação. Além das provas neste fim de semana, eles participarão de treinos específicos na neve, já de acordo com o projeto de longo prazo estipulado pela confederação. O Brasil Zero Grau ficará de olho na disputa.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.