Ajuda aí!

O curling segue surpreendendo. Após a participação histórica no Mundial de duplas mistas com Marcelo Mello e Aline Gonçalves, a realização da Copa Brasil e a preparação para a próxima temporada, agora um jogador do país se prepara para disputar um dos principais campeonatos na província da Colúmbia Britânica.

Raphael Monticello, um dos principais atletas do país e incentivador da Associação Brasileira de Curling, se uniu a quatro jovens canadenses talentosos para esta empreitada. O "Time Monticello" quer participar da temporada 2014/2015 do Premium Curling League, torneio que reúne a nata dos atletas canadenses - que por sua vez é um dos principais países da modalidade. 

Para isso, porém, eles precisam de ajuda. A inscrição no torneio custa caro (US$ 1600) e ainda precisam arcar com US$ 400 com os uniformes obrigatórios. São, portanto, US$ 2 mil que poucos podem arcar com o próprio bolso. 

A saída, como em outros exemplos dos brasileiros de esportes de inverno, foi apostar no crowdfunding.  Neste site, você pode contribuir com cotas que variam entre US$ 25 e US$ 1000, mas há espaço para contribuir com qualquer valor. Caso eles passem do valor, ainda pretendem oferecer bônus: se arrecadarem US$ 3 mil, por exemplo, irão gravar e postar um jogo no Youtube. 

Raphael, ao centro, com a pedra: skip de um futuro time (Divulgação)

Experiência

Disputar a Premium League na Colúmbia Britânica é ter a chance de jogar contra alguns dos melhores atletas da atualidade. Apenas para se ter uma ideia, todos os times que já estão inscritos para a temporada disputam o Tour Mundial de Curling, pelo menos quatro participaram do Brier (o campeonato nacional canadense) e o atual campeão, Time Bilensky ficou com a prata no campeonato da Colúmbia Britânica após perder para o Time Morris, que possui, nada menos do que o skip campeão olímpico em Vancouver e é a base da seleção canadense. "É um campeonato de alto nível. É a nata dos profissionais de Colúmbia Britânica", resume Raphael, em conversa com o Brasil Zero Grau. 

Sempre comentei aqui da importância de jogar contra os melhores para aprender. Ainda que neste primeiro momento possa acontecer mais derrotas do que vitórias, é etapa fundamental para crescer em qualquer esporte. E é isso que Raphael mais deseja neste momento. 

Jogadores

Ele será o skip e responsável por trazer para a elite quatro jovens que conseguiram bons resultados na categoria júnior. "Posso brincar que estou fazendo como o capitão da Suécia, que pegou um time de campeões juniores para jogar com ele na temporada", diverte-se Raphael.

Até porque ele sabe que será uma temporada de aprendizados para os jovens, mas para ele também. Se bem trabalhado, eles sairão mais fortalecidos do que nunca no fim do campeonato, que acontece de setembro a abril. 


"É um time talentoso, mas jovem. Isso significa que vamos nos preocupar muito com o lado psicológico, pois estaremos jogando contra atletas que foram e são parte da nossa inspiração", confirma. 

Além do capitão Raphael, o Time Monticello conta com Max Langlais (medalha de prata no campeonato júnior da província em 2011), Daniel Wenzeck (representante da província nos Jogos de Inverno o Canadá em 2011), Nicholas Umbach (ouro na disputa júnior da Colúmbia Britânica em 2014) e Tsubasa Jay Ueda (prata  na disputa júnior em 2014).

O Brasil Zero Grau dá boa sorte ao time nesta empreitada de arrumar patrocinadores e, consequentemente, no momento de enfrentar as feras! Vamos acompanhar jogo a jogo do primeiro brasileiro disputando um dos principais torneios profissionais do calendário de curling.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.