Fica para a próxima

Lamentação no fim (Malvina Ministrova/IIHF)
Após perderem para a Eslovênia nas quartas de final e darem adeus à qualquer chance de medalha, restava ao Brasil nesta sexta-feira garantir a permanência na Divisão 1 do Mundial de Hóquei Inline da IIHF. A missão, porém, era muito difícil: derrotar a Áustria, país que na estreia havia vencido a seleção por 8 a 0. 

E não foi dessa vez que devolvemos a derrota. O time austríaco, favorito ao ouro e surpreendido nas quartas de final, se impôs e conseguiu uma vitória de 5 a 1 que "não deixou dúvidas", segundo relato da própria federação internacional. 

Da mesma forma que na partida contra a Eslovênia, a seleção brasileira conseguiu segurar firme as investidas do rival e segurou o empate sem gols no primeiro período. Entretanto, no segundo a situação desandou: mesmo com um a menos no rink, a Áustria abriu o placar com Daniel Oberkofler com 2min36. 

O gol desnorteou os jogadores do Brasil. Numa sequência de quatro minutos, mais três gols austríacos: Oberkofler mais uma vez, Patrick Spanrring e Andre Niec. Com dois minutos para o fim do tempo, Cauã Guzman descontou para o time brasileiro. 

Coube à Áustria segurar o resultado. Ainda deu tempo de Macierzynski fechar o placar com mais um gol no terceiro período e a seleção brasileira perder um penalty shot para tentar descontar o placar. 

Austrália e Eslovênia fazem a semifinal da Divisão 1. Letônia e Croácia se enfrentam pela medalha de bronze. Já o Brasil volta para a disputa o torneio de qualificação com Argentina e outras seleções da América do Sul para recuperar a vaga no Mundial da IIHF. De qualquer forma, os brasileiros estão de parabéns pela garra demonstrada e por darem mais um passo no desenvolvimento de hóquei no gelo. Não é fácil remar contra a maré e praticar um esporte tão diferente aqui no Brasil. 

Lance da partida entre Brasil x Áustria (Malvina Ministrova/IIHF)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.