A nossa Copa do Mundo

Seleção feminina de hóquei inline (Eiji Yoshimura)

Desde o último dia 12 de junho o Brasil praticamente parou por conta da Copa do Mundo de futebol. É assim há quatro anos desde que o esporte bretão se transformou em parte integrante da cultura do país - isso lá nos anos 30 do século passado. O que poucos sabem é que, enquanto os marmanjos do futebol lutam para conquistar o sexto título mundial, algumas meninas também representarão o país em outro esporte em busca apenas de reconhecimento. 

Amanhã começa oficialmente o Mundial Feminino de Hóquei Inline da FIRS (Federação Internacional de Esportes sobre Patins) em Toulouse, na França. A entidade organiza a própria Copa do Mundo de inline, em contraponto com a versão masculina (e mais famosa) da IIHF - por ser derivado do hóquei no gelo, tanto a federação sobre patins quanto a de gelo se dão ao luxo de organizarem eventos. 

O Brasil estreia na terça-feira contra o México, às 18h50 no horário local (13h50 no horário de Brasília). O país está no Grupo C, que também conta com Itália e Nova Zelândia. Apenas os dois primeiros seguem em frente com chances de título. 

Porém, antes de chegar lá, as meninas jogam pelo reconhecimento. Poucos, aliás pouquíssimos, sabem que um time feminino do Brasil de hóquei inline estará na França competindo em um Mundial. Aliás, o hóquei ainda não tem o espaço que pode ocupar no cenário esportivo brasileiro. 

E é aí que entra o trabalho que a CBHP (Confederação Brasileira de Hóquei sobre Patins) e a CBDG precisa fazer. As duas precisam começar um trabalho a longo prazo para que a modalidade pegue por aqui e, daqui alguns anos, possamos ter times competitivos para brigarem até por uma vaga olímpica nos Jogos de Inverno. 

Os primeiros passos já foram dados. Houve uma aproximação nos últimos meses e o time masculino já começa a ser treinado para fazer a transição do inline para o gelo - algo que a Colômbia fez e deu frutos no Pan de Hóquei no Gelo que o Brasil participou. 

A partir de terça-feira, será a vez das meninas serem incluídas nesse processo. E aí, daqui alguns anos o país também possa comemorar a participação olímpica no hóquei da mesma forma que a Copa do Mundo de futebol.

*A foto acima foi clicada pelo fotógrafo Eiji Yoshimura. Ele fez um álbum bem bonito com fotos das jogadoras da seleção brasileira. Quem quiser conhecer o trabalho, basta acessar a página no Facebook clicando aqui.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.