Mundial de Hóquei inline

Equipe brasileira presente no Pan de Hóquei no Gelo (Divulgação)

Em março o hóquei brasileiro fez história: com esforços de seus atletas e diretores, conseguiu levar uma equipe para o Pan-Americano de Hóquei no Gelo realizado no México. O torneio, com aval da IIHF, foi a primeira experiência do país na modalidade. Agora, a meta é fincar de vez a entrada no cenário internacional. 

No próximo dia 1º de junho começa o Mundial de Hóquei Inline da IIHF, o principal evento da categoria em todo o mundo. Após quatro anos de ausência, que coincidiu com a crise administrativa da CBDG, o Brasil está de volta para ratificar a evolução e mostrar que pretende migrar para o gelo em futuro bem próximo. 

O torneio acontece na cidade de Pardubice, na República Tcheca, entre os dias 1 e 7 de junho. O Brasil está na divisão 1 (equivalente à segunda divisão) e joga no Grupo D ao lado de Áustria, Hungria e Japão. O regulamento é bem simples. As equipes jogam entre si na chave e os dois melhores enfrentam os classificados do outro grupo na semifinal. A decisão é em jogo único e quem passar decide o título e a vaga para a Divisão Especial, que reúne as principais seleções do mundo. 

Apesar da disputa ser em rodas, o Mundial inline é tão competitivo quanto no gelo. Ales Hemski, atleta tcheco que joga a NHL, e Thomas Greillinges, alemão campeão da liga local no gelo, estarão presentes por suas respectivas seleções. 

O objetivo principal é voltar ao cenário internacional, preparar uma seleção permanente que possa migrar para o gelo e, principalmente, aparecer para patrocinadores. A CBDG e seus parceiros procuram empresas dispostas a investir na construção do primeiro rink oficial de hóquei no gelo. Com uma arena deste tipo, é possível desenvolver, além do hóquei, a patinação, outra modalidade bastante popular por aqui. 

"Estamos nos preparando para que, assim que a primeira quadra olímpica de gelo do Brasil seja instalada, a seleção de hóquei inline  migre para o gelo. Seguiremos uma rotina diária de treinamento. Somente assim temos a certeza que seremos competitivos no pré-olímpico seguinte", empolga-se Alexandre Capelle, responsável técnico da modalidade na CBDG.

Relembrando...

O Brasil possui uma história bonita no hóquei inline da IIHF. Entre os anos de 2003 e 2009 a seleção brasileira conquistou seis medalhas pela divisão 1 e foi o campeão da categoria no ano de 2007. 

A partir de 2010, a modalidade passou para a gestão da CBDG e logo surgiram divergências entre a antiga diretoria da entidade e os praticantes. Por conta desse impasse, a seleção brasileira disputava apenas o Mundial da FIRS (Federação de Esportes sobre Rodas), que também organiza um torneio de hóquei inline. 

Agora, de volta ao cenário da IIHF, a equipe brasileira espera dar o passo definitivo para montar a própria equipe de hóquei no gelo no país. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.