Campeões

Antes do Rio Trophy entrei em contato com Thayana Stocco para uma matéria sobre o campeonato. Por conta do prazo apertado, a jovem não teve tempo de responder as perguntas antes do evento. Mas ela conseguiu responder depois, já como campeã do primeiro estadual de patinação artística no gelo na categoria Sênior A. 

Thayana Stocco (Arquivo Pessoal)
Mais do que uma matéria para homenagear uma das campeãs, este post é um ode a todos aqueles que participaram do evento e o fizeram sair do papel. Após a participação olímpica histórica de Isadora Williams nos Jogos de Inverno em Sochi, a patinação artística mostrou que está pronto para alçar voos maiores. 

E isso, meus caros, graças aos esforços de Márcio Pereira, Rafael Braga, Elaine do Prado, Leonardo Araújo, Thayana Stocco e muitos outros que compareceram à pista do Shopping Barra Garden, mas que também se mexem fora dela. Márcio é diretor da CBDG e possui vários planos, como o fantástico Ice Kids (leia mais aqui). Rafael Braga é um dos muitos professores que ensinam jovens e adultos a arte da patinação. Elaine se mobilizou e criou uma petição pública para mostrar aos órgãos públicos e entidades a necessidade que o país tem para receber uma pista com medidas oficiais. Leonardo, você viu aqui, é um dos muitos sonhadores que não deixam essa chama apagar... 

Já Thayana... bem, ela conseguiu fazer com que Luiz Manella, o maior patinador brasileiro da atualidade, repensasse a aposentadoria e se motivasse novamente na modalidade. Isso já seria um feito e tanto, sem dúvida. Mas a jovem carioca que estuda relações internacionais pode ser considerada uma atleta amadora na mais pura essência que essa expressão pode ter. 

Tudo porque ela faz da patinação uma fonte de diversão sem fim. Os saltos duplos, raros por aqui, não a iludem: para ser uma atleta de nível internacional, precisaria de saltos triplos. "É uma rotina maior de treinos e uma infraestrutura que não existe no Brasil. Por isso, creio ser praticamente conseguir. O meu foco na patinação é me divertir fazendo algo que eu sou completamente apaixonada", comentou ao Brasil Zero Grau. 

Uma paixão que começou quase que por acaso. Com 11 anos começou a praticar patinação com rodas após assistir uma apresentação na escola que estudava. Um ano depois, precisava montar uma coreografia própria e, aconselhada pela mãe, foi procurar um DVD de dança. Mas acabou encontrando o filme "Sonhos no Gelo". 

No Rio Open, em 2013: alto do pódio (Arquivo Pessoal)
Foi paixão à primeira vista. A jovem, que nunca tinha ouvido falar na modalidade, passou a assistir o filme quase todos os dias. "Diante do meu vício no filme, minha mãe me levou para patinar na única pista de gelo que tinha no Rio, no Barra Garden. Foi a primeira vez que patinei no gelo e já era capaz de andar de frente e de costas, creio que facilitada pela prática em rodas".

Mas a pista ficava longe da casa da jovem e ela seguiu apenas na patinação em rodas. Apenas com 17 anos, em plena época de estudar para vestibular, abriu uma pista de gelo perto de onde ela morava.  "Eu fazia uma hora de aula por semana. E assim que passei no vestibular, comecei a praticar com maior frequência, já que tinha mais tempo livre". 

E assim segue até hoje. Atualmente pratica duas vezes por semana, com uma média de três horas por dia. Mesmo com pouco tempo de prática, realiza ótimos saltos duplos. Para quem assiste, fica aquela sensação de joia que poderia ter sido melhor lapidada se por aqui houvesse uma estrutura mínima para esportes de inverno. Afinal de contas, nos três torneios que competiu, acabou na primeira posição!

Mesmo sem qualquer plano de virar uma atleta internacional, Thayana segue competindo, treinando e se divertindo. Um símbolo perfeito dos admiradores e praticantes brasileiros deste esporte tão belo e difícil, que mesmo sem qualquer apoio e estrutura continua crescendo por aqui. Parabéns à Thayana e a todos os competidores do Rio Trophy. 

Crianças se divertindo no Rio Trophy (Divulgação)


Veja abaixo a classificação completa do Rio Trophy:

Pré Juvenil B - feminino
Alice Gomes - 7,50 pontos
Catharina Scorza - 7,43
Mira Abou Rafeh - 5,90
Isabel Carvalho - 4,60

Pré Juvenil A - feminino
Nicole da Fontoura - 8,80 pontos
Rafaela Paes Bechuate - 8,37

Juvenil B - feminino
Amanda Cortkamp - 8,70 pontos
Nathália Sales - 8,43
Lívia Simões - 8,20
Bruna Albuquerque - 7,77

Juvenil A - feminino
Tatiana Lopes - 19,67 pontos
Ana Luiza Gomes - 17,33
Juliana Guedes - 16,20

Júnior B - feminino 
Marina Alvarenga - 16,07 pontos
Bruna Bonavita - 12,73 

Júnior A - feminino
Marcele Cataldo - 20,73 pontos

Sênior B - feminino 
Thalita Gomes - 18,97 pontos
Amanda Gomes - 18,60
Giullia Carrusca - 18,20

Sênior A - feminino
Thayana Stocco - 29,33 pontos
Fernanda Monteiro - 24,63 

Sênior A - masculino
Leonardo Araújo - 29,67 pontos

Adulto D - feminino
Luciana Quintal - 6,40 pontos
Viviane Carvalho - 5,23

Adulto C - feminino
Elaine do Prado - 16,50 pontos

Adulto A - masculino
Rafael Braga - 36,37 pontos

Abertura do 1º estadual oficial sob orientação da CBDG (Divulgação)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.