Top 10!

Michel Macedo segue voando em provas na América do Norte (Reprodução)

Quando falo que a CBDN tem em mãos uma geração muito promissora para os próximos anos, não estou exagerando. Basta olhar o desempenho deles nas principais provas para crianças e adolescentes que ocorrem todos os anos. 

Neste fim de semana, por exemplo, acontece a realização da Copa Whistler, no Canadá, considerado um dos três principais torneios para jovens da categoria sub-16 e sub-14 em todo o mundo. O brasileiro Michel Macedo, por exemplo, conseguiu até um top 10 numa disputa que não é a especialidade dele.

O jovem de 15 anos ficou na 10ª posição nesta sexta-feira com a prova de Super G (modalidade mais rápida), com o tempo de 1min06seg37, na frente de outros 60 atletas. O vencedor foi o austríaco Manuel Traninger, com 1min03seg94. 

O desempenho encheu de expectativa para as provas de slalom gigante e slalom - afinal de contas, as provas técnicas são as preferidas do brasileirinho. Porém, ele não teve a mesma sorte neste sábado, com o slalom gigante: não conseguiu completar a primeira descida e ficou de fora da classificação final. O vencedor foi Thomas Dorner, também da Áustria, com 1min36seg91.

No domingo ele tenta encerrar com chave de ouro sua temporada na prova de slalom. Ele segue entre os favoritos pelas primeiras posições.

Quem também faz uma boa competição na Copa Whistler é a irmã mais nova de Michel, Clara Macedo. A jovem compete no sub-14 e mostra uma regularidade que já acompanha a família algum tempo (o mais velho de todos, Tobias, também possui boa porcentagem de provas completadas). 

Na sexta, Clara ficou na 25ª posição do slalom, com 32seg78 (apenas uma descida foi realizada). A vencedora foi a australiana Madison Hoffman, com 29seg31. No sábado, a jovem foi a 68ª dentre 97 atletas que completaram a descida do slalom gigante. Ela ficou com o tempo de 1min08seg84. A japonesa Sunao Takaba venceu com 56seg20.

Por fim, Elena Ricca está em Abetone competindo no Troféu Pinnochio, outro grande torneio que revela futuros campeões do esqui alpino. A brasileira do sub-14 competiu no slalom gigante na sexta-feira, mas não terminou a segunda descida. A croata Ida Stimac venceu com 1min34seg16. No sábado aconteceu a disputa do slalom, mas não consegui achar o resultado da brasileira.

Estes resultados mostram realmente que o Brasil segue um caminho certo para a evolução nos esportes de inverno. Se compararmos os resultados dessa geração com os competidores de 25 anos atrás, veremos claramente o aumento no desempenho. Uma caminhada dessa é longa e cansativa, ainda mais com o clima jogando contra. Mas com um trabalho de longo prazo é possível chegar lá. 


Adultos

Tanto que dois jovens que mal saíram das provas na categoria júnior também dão importantes nesta reta final de temporada. Chiara Marano nem pensa nas férias e segue competindo em busca da excelente condição física; já Guilherme Grahn conseguiu a segunda melhor marca da carreira e a melhor pontuação no slalom. 

Chiara esteve em Madesimo neste sábado numa prova júnior de slalom e conseguiu um resultado dentro da média do que ela vem obtendo: foi a 30ª dentre 34 atletas, com o tempo de 1min55seg35 e 118.11 pontos FIS. A vencedora foi Roberta Melesi, da Itália, com 1min41seg25. 

Já Guilherme Grahn voou em outra prova de slalom em Storklinten, na Suécia. O brasileiro de 17 anos nascido em Teresina (Piauí) e que mora no país escandinavo surpreendeu a todos e conseguiu mais um top 10 para o esqui alpino nacional neste fim de semana. 

Ele ficou na nona posição, com o tempo de 1min39seg99 e excelentes 50.87 pontos FIS (lembrando sempre que no esqui o ranking é da menor pontuação para a maior). Foi a segunda melhor marca pessoal de Guilherme e a melhor se levarmos em conta apenas provas de slalom. Ele ficou bem próximo do vencedor da prova, o sueco Rickard Kaahre com 1min36seg68.

Eles voltam a competir neste domingo e o Brasil Zero Grau segue de olho.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.